Sua campanha de RPG pode terminar como Game of thrones

Como evitar que sua campanha tenha pontas soltas e um final não tão satisfatório.

Campanhas de RPG podem durar meses, anos. Se arrastar durante a história de amizades inteiras. Game of Thrones teve este mesmo impacto na vida de muita gente. Foram anos e anos acompanhando a série e os livros. Infelizmente a temporada final não agradou a todos.

As incríveis Mikannn e Carol Moreira fizeram lives analisando os episódios e falaram sobre vários problemas e coisas boas que aconteceram durante a temporada final da série.

Imagem da última análise da 8ª temporada por Mikann e Carol

Problemas que muitos relacionaram com RPG e com a possibilidade do mesmo acontecer em campanhas. Onde os personagens, perdidos em sua própria longa história, mudam motivações, se perdem no caminho e às vezes têm finais não satisfatórios.

Sendo assim, aqui vão algumas dicas para ajudar os narradores e jogadores a não passarem por isso. E terminarem suas histórias com um senso de dever cumprido.

CUIDADO! ESTE ARTIGO CONTÉM PEQUENOS SPOILERS, mas são bem pequenos mesmo. Pode ler sem medo*

Ps: O Daniel Martins (@Nabucoz ) fez uma áudio-locução maravilhosa desse texto e você pode conferir ele também!

Imagens de Guerra dos Tronos RPG

1. Trajeto é mais importante que o fim.

Antes mesmo de pensar em encaminhar os personagens para um final épico, é preciso conversar com os jogadores. Ver com eles se existe algum ponto solto em suas histórias ou alguma coisa que querem realizar.

É claro que essas coisas podem ser trabalhosas, sempre vai ter um aventureiro que quer muito fazer algo que é completamente fora do percurso. É possível até pensar em narrar uma aventura solo, onde o personagem vai até o monte mais alto meditar para entrar em sincronia com o Corvo de três olhos ou coisa do tipo.

Desde que exista um personagem querendo sair do ponto A ao ponto B, este momento lento de desenvolvimento tem que acontecer. Não adianta o narrador querer colocar ódio e raiva no coração de um personagem sem antes dar a ele motivações para ter esse ódio. Colocar o inimigo para lhe prejudicar pessoalmente e assim produzir esse anseio.

Imagens de Guerra dos Tronos RPG

2. Não se esqueça das interferências dos personagens no mundo

Se a história está caminhando há muito tempo com os personagens é importante ver os efeitos dessa interferência no ambiente à volta deles. 
Porto Real queimou, não é mais a mesma e não há o mesmo clima na cidade. É preciso que isso fique claro, que tenha efeitos nos humores do povo e do lugar.

E assim deve ser numa campanha longa de RPG. Especialmente se personagens visitarem seu ponto de partida ou algum cenário que lhes foi importante. Há um sentimento de nostalgia que é esperado, mas deve ser misturado com o gosto agridoce de derrotas e vitórias ali vividas.

Fonte desconhecida.

3. Os personagens só sabem o que o narrador contar

As coisas não acontecem magicamente numa campanha. Você não pode esperar que um personagem chore a perda de seus entes queridos se ele não sabe onde essas pessoas estão.

É bom lembrar também que o que muitas vezes na TV pode ser visto como erro de continuidade, num RPG vai também quebrar a magia. É como se você narrasse a última cena de um banquete real com um copo de Starbucks na mesa. Eu sou a primeira a levantar a bandeira do improviso no RPG, mas nesses casos é preciso pensar um pouco em como fechar a aventura e caprichar nos detalhes importantes.

Já tiveram campanhas (RPG das Minas) que encerraram com uma grande festa fazendo vários personagens épicos aparecerem.

4. Motivação dos personagens

Um personagem movido pela raiva e por assassinatos sanguinários não vai simplesmente ir embora quando tudo acabar. Motivações não podem ser esquecidas no meio do caminho. Existem exceções, claro. O narrador também não pode insistir em coisas com as quais os personagens não se importaram. Mas se um personagem passa toda sua jornada sendo levado por um certo sentimento de busca espiritual, raiva ou mesmo perdido essas motivações não podem simplesmente ser deixadas de lado. 
Um homem apaixonado não vai matar sua rainha sem antes esgotar todas as possibilidades de fazer ela ver o que ela está fazendo de errado, ainda que ela não vá ceder. Ver esses embates é importante. É essencial para que os jogadores tenham oportunidade se sentir que cumpriram tudo o que podiam em suas histórias épicas.

Mas nem tudo são lágrimas e descontentamentos. Há muita beleza na série e em campanhas longas. No fim das contas, o importante é celebrar todo esse tempo que passamos amando estes personagens e cultivando histórias ricas e emocionantes. 
E não se preocupem, fãs, os livros ainda vão chegar. Tem muita ponta solta aí.

Saiba mais:

Você pode adquirir o jogo de RPG de Game of Thrones aqui.
Ver os vídeos da Mikannn aqui e da Carol aqui.
E ler sobre diários de campanha aqui.