A corrida de táxi

Foto: Beatriz Jarzinski.

A Rua XV de Novembro, além de ser um ponto turístico, recebe pessoas que decidiram morar em Curitiba. A treze-tiliense Hildegard Gross, de 71 anos, veio para a capital paranaense com os filhos ainda pequenos e conta sobre seu primeiro contato com a XV dando gargalhadas. Acostumada com o pequeno município de Treze-Tílias, em Santa Catarina, não fazia ideia do quão era pequena a distância entre uma quadra e outra da Rua XV. 
Hildegard com sua inocência pediu para que um taxista a levasse até a outra quadra. O motorista, gentilmente, não aceitou a corrida e recomendou que ela deveria ir andando. 
Anos depois, ela conta que guarda cada história da XV no coração. Diz que quando chegou em Curitiba, a Rua das Flores, assim conhecida, não tinha o movimento que tem hoje, mas que é isso que faz seu coração bater mais forte, sendo um de seus lugares favoritos na cidade.

Por Beatriz Jarzinski

Like what you read? Give Capital da Notícia a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.