Biomimética: Inovação Inspirada pela Natureza

Conheça a disciplina que utiliza a experiência da natureza para criar soluções inovadoras para os negócios

Você já imaginou um benchmark de aproximadamente 4.5 bilhões de anos de experiência para encontrar soluções inovadoras? Você já pensou em pedir conselhos para a Natureza para encontrar essas soluções? A biomimética já! A Revista Forbes citou a biomimética como uma das cinco tendências tecnológicas que podem levar uma empresa ao sucesso. Traduzida do inglês biomimicry, que, por sua vez, surge do grego bios, vida, e mimesis, imitação, biomimética significa literalmente imitar a vida.

Através dessa imitação consciente da vida, surge a possibilidade de criar novas tecnologias inspiradas pela natureza, o que significa inovar em produtos, processos e sistemas. Um campo de conhecimento que apresenta um novo olhar e avaliação da natureza.

O termo foi cunhado por Janine Benyus, co-fundadora do Biomimicry 3.8, e também uma das minhas professoras na especialização em biomimética, ao lançar o seu livro: “Biomimética: Inovação inspirada pela Natureza”. Considerando que o planeta Terra tenha aproximadamente 4.5 bilhões de anos de evolução, há muito para se aprender com a natureza e não apenas à se extrair dela, se quisermos aprender lições poderosas sobre como as coisas devem ser construídas se feitas para durar.

O objetivo da biomimética é o estudo das estruturas biológicas e das suas funções para, dessa forma, aprender com a natureza através das suas estratégias e soluções e utilizar esse conhecimento em diferentes domínios da ciência como: engenharia, biologia, design, administração, medicina, futurismo, tecnologia, e muitas outras. Utilizando, portanto, a natureza como modelo, medida e mentora permitindo criar produtos, processos e sistemas que permitam a vida prosperar na Terra.

É uma abordagem transdisciplinar, que conecta natureza e tecnologia, biologia e inovação, vida e design. A biomimética permite obter materiais com propriedades diferenciadas e inovadoras como, por exemplo, revestimentos auto limpantes que funcionam como as folhas da flor de lótus, plásticos que se auto regeneram que funcionam como a pele humana, fibras inspiradas nas teias de aranha que são mais resistentes do que o nylon, materiais que crescem em temperatura ambiente mais resistentes do que a cerâmica, adesivos super aderentes baseados nas microestruturas das patas de um lagarto, e inúmeros outros.

Você sabia que a colméia das abelhas, por exemplo, é construída de forma hexagonal cilíndrica porque, dessa forma, utiliza a menor quantidade de cera possível para produzir maior espaço a fim de armazenar o mel? Ou seja, produzir mais, utilizando menos recursos.

A empresa alemã Arnold Glass ao perceber que, por ano, mais de 100 milhões de pássaros morrem na Europa por colidir com os vidros dos arranha-céus buscou inspiração nas grandes florestas onde os pássaros voam livremente e não colidem com as teias de aranha. Isso porque as teias das aranhas possuem uma fibra que reflete a luz ultravioleta e os pássaros enxergam essa luz. Nós, humanos, não enxergamos. Baseado nesse conhecimento da natureza, a empresa aplicou fibras ultravioletas em seus vidros da linha Ornilux — o que mitigou as colisões e fez com que os vidros permanecessem transparentes aos olhos humanos.

Em outubro de 2015 tive a oportunidade de visitar a Ecovative, entre outras empresas com foco em processos e produtos sustentáveis, e ver ao vivo os seus processos, a empresa produz embalagens e diversos produtos como cadeiras e isolantes acústicos utilizando o micélio (raiz dos cogumelos) como matéria prima principal, o que a torna líder mundial em biomateriais criando e ampliando produtos ecológicos, 100% biodegradáveis e que tem custo e desempenho competitivo com os materiais convencionais, a Ecovative inclusive, fechou parceria com gigantes como Dell e Ikea.

Quanto mais otimizamos recursos e energia e produzimos em ciclos fechados, mais reconhecemos o impacto das nossas ações, e mais conscientes somos do nosso papel no Planeta. Nós estamos inseridos nessa grande rede que conecta todo os ecossistemas do Planeta, entender a interdependência das relações é portanto, essencial para a nossa existência e a para a existência das empresas.

Para a condução de projetos, a biomimética possui uma metodologia, o Biomimicry Thinking, que aliado a ferramentas como os Elementos Essenciais e os Life’s Principles, visa minimizar os impactos ambientais e inovar em estratégias de sustentabilidade em todas as áreas. Fritjof Capra diz que a emergência espontânea da complexidade e de ordem induz a tendência inerente da vida que é criar novidades. Sim, uma empresa saudável financeiramente e um Planeta saudável são possíveis. Vamos conversar mais sobre estes nos próximos posts.

Pensem comigo: a lagarta ao deixar o casulo passa por horas de esforço contínuo para que possa transformar-se em borboleta; alguns observadores científicos experimentaram cortar o casulo para facilitar a vida da borboleta porém, notaram que sem o esforço, a borboleta não pode voar e, consequentemente, não sobrevive por muitas horas. Através do exemplo da lagarta, podemos encarar os desafios como as formas de pressão capazes de nos energizar em busca de novas soluções.

E aí, para quem você vai pedir conselhos a partir de hoje?

À vida!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Giane Cauzzi Brocco’s story.