Conhecimento e afeto

Entenda porque Carlos Motta acredita que paixão e ofício andam lado a lado

A educação chega através de diferentes caminhos. Só consegui entender e aceitar a educação quando veio associada ao afeto, ou seja, ao prazer de trazer o conhecimento até mim, ao prazer de ensinar. Muito bom podermos usufruir de mais um canal, ou de mais uma mídia para levar o conhecimento a todos aqueles que tenham interesse. Absorver conhecimento não é uma coisa fácil, depende de um conjunto de fatores para que isso tenha excelência.

Em geral costumo ser um pouco refratário à grande maioria das propostas que aparecem aqui no Atelier, propondo divulgar o conhecimento aqui existente. Muitas vezes são veículos que acabam priorizando algum tipo de linguagem onde o verdadeiro conhecimento acaba ficando na sombra. O site da Saibalá, junto com sua brilhante rapaziada, me atraiu de cara. Empatia. Percebi que o afeto citado acima estava presente na proposta deles de formular aulas, de propor ensinamento, de divulgar cultura.

Marcenaria é apaixonante, as madeiras brasileiras tão lindas, tão cheirosas, a técnica de trabalhá-las também apaixonante, antiga, óbvia. O design igualmente apaixonante, igualmente óbvio. Juntar esses dois itens, design e madeira, fazer disso o trabalho é um privilégio.

Quando desenho uma cadeira tenho que entender a relação desse objeto com o corpo humano, ergonomia. Qual é a maneira mais correta de se sentar? Sentar para quê? Para trabalhar? Para comer? Para descansar? São questões que definem o projeto, o design do objeto.

Uma vez definido este precioso design, tenho que adotar as técnicas construtivas mais adequadas para que essa peça seja executada com excelência e tenha longevidade. Para isso, devo conhecer a inteligência de cada encaixe que estará resolvendo diferentes esforços, conhecer a madeira mais apropriada, a ilustração mais apropriada, para no final, com certeza, termos uma peça com uma estética interessante, pois seguimos o óbvio.

O design é isso, procurarmos desenhar, projetar, desenvolver esse imenso hall de peças utilitárias que fazem parte da nossa vida, que a simplificam, a ajudam e a tornam melhor. O exercício é lindo, em geral concebendo o design no papel, ou no computador, no plano, para em seguida ir para oficina e passar para o tridimensional.

O que amarra tudo isso, o que dá vida e alma a tudo isso é novamente o afeto. Fazer as coisas com carinho, com generosidade e entregar ao outro.


Carlos Motta desenvolveu o curso online Conceitos de design: a simplicidade na criação de peças em parceria com a Saibalá.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Equipe Saibalá’s story.