O lado não glamouroso da moda

Conheça os bastidores de uma profissão que vai além dos desfiles, modelos e semanas de moda

Aos olhos de quem observa, o universo da moda parece extremamente encantador. Em seu calendário, muitas festas de luxo, eventos exclusivos para celebridades e semanas de moda que levam à loucura os entusiastas de grifes famosas. Mas apesar de passar essa imagem “glamourosa”, que aparece até em novelas e filmes, quem trabalha nos bastidores sabe que a realidade é de muito trabalho duro.

Ao mesmo tempo em que os negócios da moda se tornaram uma das fatias mais interessantes para se investir, o mercado cresceu e ficou mais exigente e difícil para ingressar. Por isso, pequenos e grandes designers suam a camisa para abrir e manter a sua própria marca. Para desmistificar a imagem luxuosa da moda que costumamos imaginar, conheça três etapas que fazem parte do cotidiano dos estilistas — e que não são nada glamourosas.


Criando uma coleção

Os estilistas, dependendo da marca, criam 4 ou mais coleções por ano, e o processo criativo é mais complexo do que parece. Nem sempre o designer de moda é atingido por uma grande ideia ou referência para a coleção que está desenvolvendo. O trabalho é árduo por trás da criação, e exige uma busca de referências em viagens, visitas a museus, livros ou pela própria internet. Depois, tudo isso deve ser pensado e trabalhado para construir uma coleção do zero, com novos materiais, estampas e formas.

Coordenando núcleos

Em uma coleção, os estilistas não pensam só nas roupas. Entram no pacote quais serão os acessórios da temporada, o cenário e a trilha do desfile, os modelos que vão participar da apresentação e o cronograma que envolve a chegada do produto final às lojas.

Para isso, muitas marcas conseguem se dividir em núcleos, que vão da Criação ao Marketing, para cuidar de demandas específicas. E com isso, horários devem ser cumpridos, tarefas entregues no prazo e, existem casos em que até os finais de semana podem ser sacrificados pelo trabalho.

Todos os detalhes alinhados pelos núcleos passam pelo crivo do diretor ou estilista da marca. Se o negócio é pequeno e não existe a possibilidade de contratar mais funcionários, muitas vezes o próprio estilista assume a maioria dessas funções.

Preparando o desfile

Após finalizar a coleção, o estilista que participa de uma semana de moda faz uma apresentação para a imprensa e os convidados. É a hora em que descobre qual será a aceitação do público para todo um trabalho feito ao longo de meses.

Até chegar ao momento do desfile, muita coisa acontece nos backstages: a maquiagem, a preparação dos looks e o ensaio da apresentação. Nessa correria, muita paciência e pouco brilho para cumprir todas as tarefas, exigindo muito amor e dedicação à profissão!

Para conhecer um pouco mais sobre o dia a dia da profissão de um estilista, confira o curso online Estilismo: ideias para começar uma carreira na moda, com Gloria Coelho.