Quando imagens contam histórias

Conheça a fotografia documental, gênero capaz de capturar imagens poderosas e com voz própria

É como dizem: uma imagem vale mais que mil palavras. Mais do que a objetividade de um texto, a fotografia contextualiza toda uma época. Sendo hoje uma das mais importantes expressões artísticas, a fotografia tem o poder de impactar pela sua representação, seja de uma situação do cotidiano, até a violência das zonas de guerras. E todas as fotos com temas sociais, viagens, cenas de guerras ou do dia a dia são classificadas como fotografia documental.

O gênero, que começou no século XIX, consolidou-se na década de 1930, quando já apaixonados pela fotografia dos temas sociais, os profissionais da época saiam com suas câmeras, procurando por personagens de histórias que queriam contar. Desde então, documentaristas marcaram a história do mundo, retratando diversas realidades, que por sua densidade interpretativa ou um toque artístico, seguem impactando leitores em capas de livros, jornais e revistas.

Os profissionais que se dedicam a fotografia documental, além de muito treino para clicar com agilidade uma sequência de fatos, devem ter uma sensibilidade para encontrar uma narrativa concisa. Um exemplo de fotógrafo com grande experiência na área é Mauricio Lima. O brasileiro, que trabalha de forma independente, faz registros importantíssimos em conflitos armados e documenta a migração dos refugiados do Oriente Médio que partem rumo à Europa.

Nas imagens de Lima é possível notar muito mais que o fato noticioso, que circunda a situação dos refugiados, mas o desespero durante as longas jornadas, a perda de um parente, a chegada em um país diferente e o choque cultural. O talento e sensibilidade de Mauricio o fizeram ganhar esse ano o Prêmio Pulitzer, divido com outros três colegas, na categoria de “Fotografia Noticiosa” por suas coberturas da crise dos refugiados.

E essas impressões que são causadas quando o leitor vê uma imagem, complementam o texto, dão relevância e credibilidade e às vezes impactam muito mais do que simplesmente o registro escrito. Para aprender mais sobre esse gênero fotográfico e seus principais desafios práticos, confira o curso online Fotografia documental: como registrar pessoas e suas histórias.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Isabella de Almeida Prado’s story.