Você precisa começar a doar seu dinheiro agora e isso é muito mais legal do parece.

Recém-formado, saí da casa dos meus pais para pagar o primeiro aluguel na minha vida. Com meu próprio salário. Mesmo sem saber se o que ganhava era realmente o suficiente para viver em uma das cidades com o maior custo de vida do mundo. (Estou falando de você, Rio de Janeiro.)

Mesmo não expulsando ninguém do meu Iate com notas de cem dólares, não fui despejado nos três primeiros meses como achava muito provável e percebi o privilégio que tinha.

Eu, só que não.

Essa foi minha primeira inquietação sobre dinheiro desde que passei a decidir onde colocava cada centavo que ganhava. Mesmo meu salário não sendo ainda tudo que sempre sonhei, seria possível fazer qualquer coisa importante por outras pessoas?

Estamos vivendo um boom da colaboração. Que tal aproveitar para compartilhar também seu dinheiro?

Se um dia alguém dessas ONGs conseguir te parar na rua, vai perguntar se trinta reais fazem diferença para você. Honestamente? Talvez, não faça.

Existe uma convenção, um modelo mental, que às vezes replicamos sem querer. A ideia de que devemos focar todos nossos esforços em nós mesmos primeiro. Até nossos primeiros milhões baterem na conta bancária. Nesse dia e nesse dia somente, devolvemos para a sociedade.

Um problema óbvio com essa ideia é que esse dia pode nem chegar. Mas mesmo não chegando, tem muito para se fazer agora. A ideia de colocar a sua máscara de oxigênio antes de ajudar alguém, pode fazer sentido em um avião, mas não se aplica a tudo.

“ Quando você reflete e diz: “Agora é hora de devolver…” Bem, se você está devolvendo, é porque pegou demais.” — Ricardo Semler

Existem muitos bons motivos para começar a doar seu dinheiro agora que talvez não sejam tão óbvios no dia-a-dia. Então, vamos falar sobre eles.

1.Metade do seu salário desaparece em coisas invisíveis (e desnecessárias) de qualquer jeito.

Seu dinheiro está te traindo todo tempo. Indo para lugares completamente diferentes do que diz e a culpa pode ser sua por não prestar atenção.

Há alguns meses deixei meu trabalho — o mesmo que me permitiu minha independência financeira — e preciso viver com metade do que ganhava.

Nesse pouco tempo, descobri que consumia muito mais do que pensava. Para sobreviver esse momento, tive que botar tudo no papel. Na verdade, botei online e passei a espionar para onde meu dinheiro realmente ia. Recomendo começar fazer o mesmo. Dica: o GuiaBolso puxa e classifica automaticamente todos seus gastos, o que deixa tudo muito mais fácil.

Passei a prestar atenção no que é importante e cortei o supérfluo. Depois disso, viver com metade do meu antigo salário não mudou minha vida em muita coisa. Às vezes, me pego pensando em frente a uma vitrine: isso é metade das compras do mês!

Entenda como você gasta seu dinheiro. Às vezes, o motivo não é o que estamos pensando. Esse vídeo da box sobre Lowsumerism pode ajudar.

Vídeo da Box 1824 sobre os motivos pelos quais consumimos mais do que precisamos.

Muitas vezes, invertemos prioridades. Deixamos de fazer o bem que podemos para gastar o que não temos em coisas que não precisamos.

2.Existem muitas maneiras de usar seu dinheiro para o bem e nem tudo tem uma cara chata de filantropia.

Já foi o tempo que filantropia significava eventos de arrecadação e gente esnobe. Hoje, pode ser até cool.

Desde que o movimento do Crowdtudo começou, você pode contribuir com projetos incríveis do mundo inteiro e quem sabe fazer parte do início algo revolucionário.

Desde que o Kickstarter foi lançado já arrecadou mais de 2 bilhões de dólares fundando 95 mil projetos através de quase 10 milhões de pessoas.

O pessoal da Shoot the Shit até criou o conceito de Third Circle. Resumindo a ideia, quem apóia é tão legal e importante para sociedade quanto quem faz. E mesmo se você já é um fazedor, ainda pode ampliar seu impacto positivo apoiando outros projetos com muito pouco.

Deixo aqui alguns jeitos descolados de contribuir. O mais legal? Tudo brazuca e online. Você pode escolher um ou todos. O legal mesmo é apoiar.

Benfeitoria.

Crowdfunding sem comissão para projetos de Impacto.

Rede Múrmura.

Ideias inspiradoras para melhorar a vida nas cidades.

Catarse

Primeira plataforma de financiamento coletivo para projetos criativos no Brasil.

Mas não esqueça que ainda existe toda a galera das antigas que também precisa de ajuda. Aqui são alguns dos projetos que já apoiei e que você também pode apoiar: UNICEF, Lar Daniel Cristovão e APADA.

3. Propósito é uma das maiores recompensas que seu dinheiro pode te dar.

Encontre coisas que te animem e apoie. Não precisa ser muito. Escolha algo que te envolva pessoalmente e vai sentir o impacto imediato que doar pode ter na sua felicidade e no seu senso de propósito.

Sentir que fazemos a diferença para alguém é desafiar o sentimento de impotência que temos tantas vezes na vida. É sentir que não estamos aqui de bobeira ocupando espaço e reclamando no twitter.

Existe um bilhão de pessoas no mundo vivendo com menos de um dólar por dia (sério!) para quem mesmo o seu menor gesto pode ser transformador.

Se você quiser entender como é viver com 30 dólares por mês. Disponível no Netflix.

Pode ser difícil ter esse senso de urgência quando temos nossas próprias contas a pagar, mas nenhuma delas vai te fazer tão bem quanto essa e você pode começar agora.


Se curtiu o texto, você pode me seguir aqui no Medium. Se der Recommend clicando no coração, ajuda muito. :)