Um novo conceito: The Pitchers abre filial com foco em comidas de estádio

Segunda Base
Apr 6, 2018 · 6 min read

No último ano, a comunidade do beisebol de São Paulo ganhou de presente dois lugares que rapidamente se tornaram points de encontro para os praticantes e simpatizantes do esporte na cidade: a Arena Beisebol, o primeiro centro de treinamento indoor apropriado para a prática do país, e o The Pitchers Burger and Baseball, hamburgueria que une as paixões pelo beisebol e pela comida. Os dois empreendimentos se uniram e nesta sexta (6), celebrarão a parceria com a inauguração do The Pitchers Food Stadium, filial do restaurante da Vila Clementino que funcionará dentro do Arena, localizado no bairro do Tatuapé.

“Somos o The Pitchers, mas agora com uma personalidade de comida de estádio”, diz Marcelo Nakamura, o Marelo, um dos sócios da hamburgueria. “A ideia é que a galera entre como se estivesse realmente entrando num estádio, tendo a primeira impressão da Arena Beisebol, que chama a atenção, e se deparando também com a nossa cozinha”. O grande diferencial dessa parceria é o conceito usado para a concepção da filial. “A gente quer trabalhar bem esse conceito de comida de estádio. Se lá na hamburgueria a gente conseguiu trazer o pessoal do bairro por termos um hambúrguer de qualidade, aqui a gente quer trazer com esse diferencial”.

Dan Silva, o responsável pelas receitas e um dos sócios do The Pitchers, também segue o mesmo tom. “O negócio é deixar o nosso toque. O nosso cliente tem que comer o nosso lanche aqui e tem que lembrar do The Pitchers, lembrar da nossa pegada”, diz ele. O novo cardápio foi pensado de forma a manter o espírito já presente na matriz. “Tem que ser simples e muito saboroso ao mesmo tempo. Um hot dog de estádio é apenas um pão com salsicha, mas é fantástico. Queria trazer isso pra cá”.

Além dos hambúrgueres, que são o foco do The Pitchers, o Food Stadium também terá na sua oferta de refeições novidades inspiradas nas comidas servidas dentro dos estádios de beisebol de todo o mundo. “Tentaremos trazer umas receitas de lá de vez em quando”, diz Dan. “São itens de uma comida mais rápida. Não podiam faltar os hambúrgueres, mas aqui serão menores, com uma cara mais de estádio e com um pão diferente, que é a grande sacada”, frisa Marelo. “Teremos alguns itens de comida mexicana, como os burritos e os nachos, além do hot dog, que está muito bacana. Sem querer puxar sardinha pro Dan, mas pra mim é o melhor dog de São Paulo”.

“Hoje já somos conhecidos pelos nossos lanches, então o nosso grande desafio aqui é agregar esse público novo daqui do Tatuapé com o público que já é do beisebol, e conseguir mostrar pra eles esse conceito diferente”, revela Marelo. “O conceito acaba sendo um diferencial pro negócio e perante os nossos concorrentes, as outras hamburguerias. É um ganchinho a mais”

Para tentar alcançar esse público, Dan aposta naquilo que considera o diferencial do The Pitchers. “Todo negócio tem uma história por trás, tentando ter uma base boa para vender um produto não só para ganhar dinheiro, mas também para passar para o cliente também uma experiência legal”, diz ele. “Queremos tentar fazer o cliente entender o que é o The Pitchers”.

O The Pitchers tem o beisebol no nome e os todos os seus sócios (são quatro: Marelo, Dan, Tiago Komagome e Jun Sato) vivenciaram o esporte no seu máximo dentro do campo. É a partir dessa paixão que surge essa filosofia. “O beisebol é a nossa paixão e é um desejo comum nosso conseguir divulgar. A galera vem e pergunta ‘por que beisebol?’ e aí a gente começa a falar”, diz Marelo. “Pra mim isso daqui é um sonho. O beisebol é um esporte que a gente ama, minha filosofia de vida veio desse esporte, e poder trabalhar diariamente com isso é literalmente um sonho”.

“É um sonho trabalhar feliz”, diz Dan. “Quando é que você imaginou que ia conseguir juntar as duas coisas que você mais ama e trabalhar com isso todo dia? A gente vem pra cá feliz, se diverte, dá risada, isso é difícil. É muito bom”.

“Quando a gente tava na época de prestar vestibular, se pudesse, escolheríamos viver de beisebol, mas a gente sabe que a realidade no Brasil é difícil”, fala Tiago Komagome, o Taka, outro sócio do The Pitchers e o homem que ficará responsável pelas operações no novo espaço. “Agora a gente conseguiu juntar isso aí e fazer com que as pessoas entrem aqui, sintam esse amor e saiam um pouquinho mais felizes do que entraram”.

“Empreender nunca é fácil, ainda mais no nosso país, com tanta burocracia”, continua Komagome. “Quando a gente jogava, o nosso técnico falava que não importava ganhar ou perder, mas sim deixar o 100% dentro de campo. Hoje, a gente entende muito bem essa frase. [Abrir aqui] é um desafio muito grande, mas a gente fica mais tranquilo sabendo que todo mundo vai dar 100% pra dar certo. Vontade de fazer dar certo não vai faltar”.

Esse caráter da empreitada é compartilhado por Dan. “Empreender em São Paulo já é meio complicado, não importa o bairro”, diz ele. “Sempre que você vai abrir um negócio novo, você vai ter medo. Seria muito mais fácil jogar o dinheiro numa poupança e já ver rendendo. Agora, a gente ama isso e isso que é o bacana: trabalhamos felizes e acreditamos no negócio”.

A abertura do novo espaço (“o nosso filho”, segundo Marelo) representa uma mudança na dinâmica entre a equipe do The Pitchers. “Nós nos entendemos muito bem, isso me deixa mais tranquilo. É um desafio, o filho tá crescendo e agora é tudo novidade”, diz Komagome. “A gente confia muito um no outro. É gostoso trabalhar com os amigos”, completa Dan.

Para Marelo, a sinergia da equipe é crucial para a continuidade do sucesso. “Demos muito certo até agora pela junção de qualidades de cada um, igual um time de beisebol que vai se completando. Com certeza a gente vai estar contando com isso pra fazer o negócio continuar a acontecer”, diz ele.

“O nosso público é um pessoal muito bacana, que protege muito a gente. Aqui foi uma oportunidade que apareceu e acho que a gente tinha que agarrar. Acho que foi o beisebol que encorajou a gente a abrir aqui”, diz Dan. “Tem que ser bem maluco para abrir um negócio desses. É coisa de louco”, ele brinca.

Do lado do Arena, o Food Stadium vem para completar o espaço, que já virou destino certo no roteiro dos praticantes do beisebol. “Pra gente, complementa muito. Aqui você tem um lugar pra comer e também treinar. Pra quem quer conhecer o esporte agrega”, fala Marcelo Nakayama, um dos sócios do Arena Beisebol. “Uma coisa vai levar a outra e esse é o princípio básico que a gente queria”. “Somos parceiros que temos o mesmo sonho e o mesmo nível de loucura”, diz Marelo. “A gente quer com o The Pitchers, valorizar o trabalho do Arena, e vice-versa”.

Chamar o público de fora do beisebol também se apresenta como um dos objetivos em comum da parceria. “Não queremos ficar só com o pessoal do beisebol, também precisamos chamar o pessoal de fora pra conhecer o esporte”, afirma Nakayama. “Muita gente não conhece porque é muito pouco divulgado e a gente sempre tinha esse pensamento. Acho que tem tudo pra dar certo, um ajudando o o outro nessa empreitada”.

“Aqui é uma hamburgueria, mas também tem um espaço que complementa pra apresentar o beisebol na prática. Tem um apelo gigante nisso daí”, lembra Dan. “Aqui a gente uniu duas forças. Tem a questão do negócio ser viável, mas também o beisebol está sempre acima”, diz Komagome.

“O paulistano é um cara exigente, que acaba procura um lugar bacana. Se você tem um conceito básico, você tem vida longa”, diz Dan. Então, o The Pitchers, agora em seu passo mais ousado, vai tentar usar a filosofia que deu certo na matriz agora com o Food Stadium no Arena Beisebol. “O nosso grande desafio diário vai ser repassar esse carinho do nosso conceito em forma de comida”, diz Marelo.


Ficou curioso? O The Pitchers Food Stadium, a filial do The Pitchers Burger and Baseball, fica no Arena Beisebol, localizado na rua Visconde de Itaboraí, 328, no bairro do Tatuapé, em São Paulo (próximo à estação Tatuapé da linha 3-Vermelha do Metrô) e funciona de terça a sábado.

Segunda Base

Desde 2011, o Segunda Base traz conteúdo original e análises sobre a MLB, produzidos por uma equipe de apaixonados por beisebol

Segunda Base

Written by

Desde 2011, o Segunda Base traz conteúdo original e análises sobre a MLB, produzidos por uma equipe de apaixonados por beisebol

Segunda Base

Desde 2011, o Segunda Base traz conteúdo original e análises sobre a MLB, produzidos por uma equipe de apaixonados por beisebol