Os desafios da formação continuada

A relação da capacitação com a melhora das políticas públicas foi o tema do primeiro dia do evento

Representantes da Administração e do quadro funcional da Prefeitura de São Paulo dividiram o palco do auditório do Edifício Matarazzo para discutir a “capacitação para melhores políticas públicas”. Essa foi a mesa que abriu a Semana do Servidor e da Servidora 2015, na segunda-feira, 26, iniciando uma sequência de debates para estreitar laços entre gestores, funcionários e sociedade.

A Secretária Municipal Adjunta de Gestão, Cristina Mori, a Coordenadora da EMASP, Anita Stefani, e a supervisora escolar da Secretaria Municipal de Educação, Anna Simões, conduziram a discussão do assunto que é de interesse não somente da Administração paulistana, mas também de todos os servidores e servidoras que consideram que o aprendizado é uma constante para a carreira.

Resultados e projeções

A Secretária Cristina Mori inaugurou a primeira atividade aberta ao público do evento. Para iniciar a conversa, apresentou os resultados da política de Gestão de Pessoas no atual governo municipal. Entre os dados, destacaram-se os reajustes que ocorreram em todos os níveis, e também as futuras ações da Prefeitura, previstas para este ano, em relação às negociações trabalhistas.

Secretária Municipal Adjunta de Gestão, Cristina Mori: “com os reajustes para todos os níveis, ninguém na Prefeitura tem salário inferior a um mil reais”

Em seguida, Anita levantou o histórico da capacitação na Administração Municipal desde 2005, quando a prática passou a ser realizada a partir dos primeiros passos da Escola de Formação do Servidor Público Municipal — que hoje tornou-se a EMASP. Até então, revelou a Coordenadora, a Secretaria Municipal de Gestão (SMG) formou cerca de 61 mil servidores, mas um número ainda insuficiente em comparação à quantidade de funcionários da Prefeitura — aproximadamente 143 mil.

Apesar dessa constatação, apenas em 2015 foram 11.883 servidores capacitados, superando o volume de anos anteriores. “O foco da capacitação se tornou maior com a exclusividade de uma secretaria voltada apenas à gestão, como é o caso da SMG” — disse Anita, considerando que, no início deste ano, a Secretaria Municipal de Gestão deixou de ser SEMPLA, desvinculando-se das atribuições de Planejamento e Orçamento.

Por melhores políticas públicas

A EMASP também adquiriu mais autonomia ao ter seu nível hierárquico elevado em 2014, com o Decreto que a instituiu como Escola Municipal de Administração Pública de São Paulo, e também como uma das coordenadorias da SMG.

A reestruturação da Escola, tal como a junção de forças com os outros dez centros de formação do município, possibilitam dar continuidade de forma aprimorada no plano de ensino aos servidores. A prática reflete diretamente na entrega dos serviços prestados à população: “quem não quer estar mais bem capacitado nas políticas públicas e oferecer o melhor atendimento ao cidadão?”, questiona Anita, enfatizando o quanto o treinamento adequado e continuado impacta positivamente em uma melhor gestão.

Paulo Freire presente

“Como educador sou um aventureiro responsável, permanentemente inacabado e consciente do inacabamento”. A frase atribuída ao pedagogista Paulo Freire foi citada pela servidora Anna Simões, que tem 37 anos de serviço público prestados, para elucidar o papel do servidor público frente ao seu constante aprendizado.

“Nós, servidores, somos educadores pois lidamos com o público. E por mais que a vida humana seja plena, devemos ser ter responsabilidade para com ela”, disse Anna, destacando que a capacitação para o atendimento ao munícipe é essencial.

A consciência de Paulo Freire com a sua incompletude é interpretada por Anna como a constante formação: “mesmo com excelentes cursos, o conhecimento é provisório. Todo servidor já foi aluno um dia, e os melhores continuam sendo, daí a importância da formação continuada”.

“Todo servidor já foi aluno um dia, e os melhores continuam sendo, daí a importância da formação continuada” — Anna Simões

Vem por aí

Além da capacitação em formações pontuais e que atendam às demandas da Administração, é fundamental que existam cursos permanentes sobre temas que sempre serão necessários para fortalecer a Gestão Pública. Atualmente, a EMASP oferece o GEq — Programa Gestão de Equipes, como formação permanente, que em breve lançará seu 10º módulo.

Porém, outros cursos estão em fase de planejamento, envolvendo as práticas de Gestão de Pessoas e também de liderança.