@akapoeta inova e leva a sensibilidade da poesia para a internet

Com os “ressignificados” de palavras, sua marca registrada, João bomba na web e contabiliza um alcance de mais de 3 milhões de visualizações semanais só no Facebook

Por Raul Tano

Não foi preciso fazer ‘textão’ para chamar a atenção. João Pedro Doederlein, mais conhecido no ambiente digital como @akapoeta, é sucesso nas redes sociais. O poeta brasiliense de apenas 19 anos se tornou um fenômeno na internet com seus textos de linguagem curta, característica dos tempos modernos, mesclada com a delicadeza na composição de cada obra que traz temas do cotidiano, nomes próprios e horóscopo.

Talvez você não esteja ligando o arroba à pessoa, até porque o sucesso do poeta do século 21 é precoce — quase 1 ano — mas, com certeza já viu rolando na sua timeline algum dos seus trabalhos que vira e mexe é compartilhado, inclusive por celebridades como Grazi Massafera, Yasmin Brunet, Isis Valverde e Hugo Gloss.

“Não sei bem como eu acabei na boca deles. Mas acabei lá. Eu sei que um dia me marcaram na postagem da Grazi Massafera e eu falei ‘Wow! Sério isso?’, eu achei demais!”, relembra.

João, ao contrário do que muitos pensam, não é estudante de Letras — ele faz Publicidade na UnB — e começou a escrever aos 11 anos. Com 15 tomou gosto e fez do passatempo um trabalho. Suas referências vão desde Mario Quintana e Leminski, passando por J.K. Rowling, Neil Gaiman e até Criolo.

Os ‘ressignificados’, seus trabalhos mais reconhecidos, nasceram a partir de um treino que ele desenvolveu para que pudesse melhorar a escrita. “A ideia era transformar cada palavra do mundo em minha ‘própria palavra’, ou seja, ler as palavras pelos olhos da minha alma. Fiz um, dois, três… postei. Deu certo. Deu muito certo!”, comemora.

Foto: Arquivo pessoal

Deu tão certo que hoje, além de poeta, João é um digital influencer. Com quase 800 mil seguidores no Tumblr, Facebook, Instagram e Twitter, ele pretende estender seu trabalho para o máximo de plataformas possíveis. Wattpad, Medium e YouTube já estão no seu radar. Livros também (alô, editoras!). Vamos aguardar.