NOTAS DE DESAPEGO

Acompanhe aqui, somente aqui, minha jornada contra o cupido.

Leandro Gonçalves, o casual em construção

De grão em grão…

Decisões, quando relacionadas ao coração, não são fáceis de se tomar.

Eu o amo. Não sei por quanto tempo mais carregarei esse sentimento, apesar de já o ter carregado por muitas estações, mas tenho a certeza de que não o quero mais para mim.

Somente depois de uma tarde regada a café, pão de queijo e papo jogado fora com os amigos é que tive a coragem de tentar me libertar dos caprichos de minha paixão.

Após meses guardando dado sentimento só para mim e para ele, finalmente revelei minhas dores a outras pessoas. E elas não hesitaram em reafirmar aquilo que no fundo já buscava me convencer: ele não me fazia mais bem.

Suas respostas evasivas não significavam nada além do que realmente eram: colocações de quem não quer se comprometer, de quem não quer optar pelo sim ou pelo não… de quem não quer tomar para si a alcunha de se responsabilizar pelo quê cativa.

Não responder suas mensagens com a mesma alegria de antes, não desejar uma boa noite de maneira caprichada, não elogiar qualquer merda que ele me dissesse ter feito… pequenos passos que tomei para afastá-lo de mim. Medidas pequenas que minaram nossas conversas em um tempo menor do que havia imaginado. Pequenos passos para a libertação pessoal, mas que me arrancam do peito grandes dores.

Fico triste… estou triste. Estou triste por não termos dado certo. Por não estarmos juntos e por nossa ligação ter acabado sendo algo tão dramático, tão mais do que poderia prever. Juro que não consigo entender como ele está com outro e como mentiu tantas vezes para mim. Como me manteve preso a ele, a ideia de que em algum dia poderíamos ser o casal ideal, parceiros que complementassem um ao outro sob a falta de modéstia em se verem como geniais. No desastre que nos tornamos busco pensar que não há culpados… mas a corda tende sempre pra mim, em minha mente.

Preciso deixá-lo pra lá, esquecer seu número e sua voz.

Preciso deixar que o destino em vendaval o carregue para longe de mim.

Ou me faça voar para longe dele.

Leandro Gonçalves·
3 min
·
6 cards

Read “NOTAS DE DESAPEGO” on a larger screen, or in the Medium app!