Versos vividos

Vos Lestes os lusíadas esperançoso

De que algum dia a maquina do mundo

Vos revelaria os segredos ditos à Raimundo.

Durma bem, disse-lhe com certa cautela

Religiosamente todas as noites

Aos pixels que compõem sua tela

Anestesiando, a solidão foi-se.

Porque é tão difícil de acreditar ou até mesmo respirar… Nascer, crescer e morrer.

Palavras não traduzem vosso viver, tampouco o ciclo do carbono, regido por Cronos, vosso devorador.

Decompõem-se a saúde, a virtude e o amor, que à tempos se encontra amiúde.

iohan sacocchi·
1 min
·
4 cards

Read “Versos vividos” on a larger screen, or in the Medium app!