NIRVANA — OLYMPIA, WA — 30/10/1988 | análise do show

“E, nesta única noite, ele tocou com uma energia que eu jamais havia visto”

No dia 30 de Outubro de 1988, o Brasil comemorava a vitória de Ayrton Senna, em Suzuka, e o seu primeiro título no campeonato mundial de Fórmula 1. Do outro lado do mundo, mais precisamente em Olympia, EUA, o Nirvana, ainda em seu início, se preparava para mais um de seus shows domésticos.

Essas pequenas apresentações não eram mais motivo de desprezo, afinal, a carreira da banda dava motivos para Kurt Cobain se animar, e muito. Eles haviam acabado de gravar uma demo de quatro músicas no Reciprocal Studios e se preparava para o lançamento de seu primeiro single, “Love Buzz“. Além disso, dois antes, realizaram a mais prestigiada apresentação do ano, quando fizeram a abertura para o show do Butthole Surfers, na Union Station de Seattle. Gibby Haynes, vocalista e guitarrista, era ídolo de Cobain, que, agora, declarava orgulhoso aos seus amigos que sua banda abrira um show do Butthole Surfers.

NIRVANA — OLYMPIA, WA — 30/10/1988 | pré-show

Dois dias depois, o Nirvana estava em Olympia para tocar em uma festa no K-Dorm de Evergreen, que ainda contava com outras 3 bandas, Cyclods, Helltrout e Nisqually Delta Podunk Nightmare, e foi idealizada em comemoração da véspera de Halloween. Para o evento, Kurt Cobain e Krist Novoselicderramaram sangue falso em seus pescoços.

O fato mais curioso da noite, não aconteceu durante a apresentação da banda de Cobain, e sim, do Nisqually, quando o baterista esmurrou o rosto de um cara e generalizou uma briga. A polícia do campus apareceu e acabou com a festa. Ryan Aigner, um dos organizadores da bagunça, conseguiu convencer os policiais a deixarem o Nirvana tocar.

NIRVANA — OLYMPIA, WA — 30/10/1988 | o show

Finalmente no palco, ou melhor, no canto da sala que tinha o mesmo propósito, o Nirvana realizou uma de suas melhores apresentações daquela época.

Kurt Cobain tocou com tanta intensidade que transpirava uma confiança descomunal, fazendo com que ninguém conseguisse tirar os olhos dele. “Tão reservado como era quando estava fora do palco, quando ele queria estar ligado, ele soltava tudo. E, nesta única noite, ele tocou com uma energia que eu jamais havia visto”, lembra “Slim” Moon, vizinho de Kurt e vocalista da Nisqually, em trecho do livro Heavier Than Heaven.

A profundidade dessa exibição artística é comprovada em cada verso muito bem cantado por ele naquela noite. Os potentes, e hipnóticos, gritos de Cobain se fazem presente ao longo das 13 canções executadas pela banda e, que aqui, ganharam versões ao vivo definitivas. Krist e Chad Channing absorveram a confiança de Cobain e colaboraram para que o show ficasse ainda mais enérgico. Novoselic não parou de pular um minuto sequer, inclusive, atingindo diversas pessoas da plateia com o seu baixo.

O setlist teve sete canções daquele que viria a ser o primeiro álbum da banda e trazia, em sua primeira parte, o que eles tinham de melhor: as duas músicas que estariam no primeiro single, “Love Buzz” e “Big Cheese”, e “School”, uma agressiva música sobre a cena “formada” em Seattle, que era tocada pela primeira vez ao vivo. As três já citadas, somadas as versões de “Floyd The Barber” e “Spank Thru”, completam uma das melhores sequências iniciais de shows do Nirvana.

Mantendo o padrão das primeiras apresentações da banda, o setlist ainda teve, na sequência, “Hairspray Queen”, “Mr. Moustache”, “Sifting”, “Mexican Seafood” e “Aero Zeppelin”, uma das melhores vezes em que foi tocada. O Nirvana ainda reservaria o espaço final para dois covers: “Run, Rabbit, Run”, do Smack, e “Immigrant Song”, do Led Zeppelin, antes de encerrar com uma incrível versão de “Blew”.

Mas, o clímax ainda estava por vir.

NIRVANA — OLYMPIA, WA — 30/10/1988 | pós-show

Ao final do show, Kurt, ergueu sua guitarra e com um violento movimento em direção ao show, esmagou o instrumento no chão. Uma pausa de 5 segundos. Kurt olhou a plateia e novamente direcionou a guitarra ao chão. “Ele nunca explicou por que se comportou daquele jeito maluco, mas ele estava sorrindo” lembra John Purkey.

Foi a primeira vez que Kurt Cobain destruiu uma guitarra. Talvez a comemoração do caminho que sua banda tomara. Daqui 3 semanas, “Love Buzz” estaria pronto. Com as vendas, Kurt Cobain teria dinheiro para comprar uma guitarra nova.

NIRVANA — OLYMPIA, WA — 30/10/1988 | nota: 5 estrelas

O que eu mudaria: colocaria “Paper Cuts“, fácil! Seria a sua versão mais amedrontadora e direta, com certeza!

NIRVANA — OLYMPIA, WA — 30/10/1988 | setlist

School | Love Buzz | Floyd The Barber | Spank Thru | Big Cheese | Hairspray Queen | Mr. Moustache | Sifting | Mexican Seafood | Aero Zeppelin | Run, Rabbit, Run (smack cover) | Immigrant Song (led zeppelin cover) | Blew

NIRVANA — OLYMPIA, WA — 30/10/1988 | show em áudio

Fontes:
http://www.nirvanaguide.com
http://www.livenirvana.com
Heavier Than Heaven (2001) | Charles R. Cross