Cisco e F5 Networks avaliam impacto da vulnerabilidade na biblioteca libssh

Falha relacionada a erro de codificação afeta a versão 0.6.0 da biblioteca

Após a divulgação de que a biblioteca libssh possui uma vulnerabilidade que permite a atacantes ignorarem a autenticação de senha para acessar um servidor com conexão SSH, fornecedores que utilizam a biblioteca começaram a investigar se seus produtos são afetados.

A Cisco Systems e a F5 Networks estão entres as empresas que analisam se seus produtos foram afetados. A primeira ainda não confirmou se isto ocorreu e a segunda, por sua vez, informou que até o momento a falha foi encontrada apenas nos controladores de entrega de aplicativos BIG-IP, mas afirmou que somente nos servidores virtuais BIG-IP AFM SSH que usam autenticação baseada em chave são vulneráveis. A Red Hat Enterprise Linux 7 Extras foi também dado como vulnerável, igualmente o Debian (corrigido na versão 0.7.3–2 + deb9u1), Ubuntu (18.04 LTS, 16.04 LTS, 14.04 LTS e derivados), e SUSE Linux Enterprise 12 e 15.

A falha CVE-2018–10933, relatada no dia 17, afeta a versão 0.6.0 da libssh e ocorre devido a um erro de codificação, que permite que o servidor entenda que a autenticação ocorreu, mesmo sem inserção de senha, apenas com o envio da mensagem “SSH2_MSG_USERAUTH_SUCCESS”. As correções estão disponíveis nas versões 0.8.4 e 0.7.6 da biblioteca.


Artigo originalmente publicado no aplicativo Tempest Soundbites, disponível para clientes da Tempest em versões para Android e iOS. Para obter uma credencial, fale com seu gerente de relacionamento.