4 Fatos concretos que me fizeram virar entusiasta de Agile

Para contextualizar este artigo, vou relatar brevemente meu histórico profissional. Comecei como estagiário (técnico em Processamento de dados) em uma indústria estatal no Rio de Janeiro, depois fui trabalhar em uma empresa de software para implantar sistemas de manutenção industrial, nesta empresa, passei por grandes indústrias de São Paulo e depois fui para Santa Catarina onde trabalhei por 7 anos em uma grande indústria em Joinville. Após me formar em Sistemas de Informação, saí da área industrial e passei a trabalhar com consultoria, o que também me proporcionou a trabalhar em outras indústrias gigantes de Santa Catarina. Depois tentei um negócio próprio, quebrei e a quase 3 anos e estou no desenvolvimento de software.

Quis fazer este resumo de minha trajetória profissional apenas para demonstrar que já passei por vários lugares e todos eles com a cultura de grandes documentações, apresentações, processos e procedimentos para tudo, inclusive nas consultorias. Porém, todas são grandes empresas e de sucesso. Quero deixar claro que não sou contra documentações e processos, mas, sou contra o trabalho com desperdício de tempo, insumos e consequentemente o desperdício de dinheiro que isto causa.

Como disse na minha publicação anterior, hoje estou inserido em um contexto diferente, exatamente numa transição de modelo controlado (cascata), para um modelo mais ágil.

Em pouco tempo, mais precisamente o ano de 2016, comecei a estudar sobre o movimento ágil, em paralelo a uma onda ágil que ocorre na empresa. Com algumas poucas mudanças que fizemos na equipe em que estou inserido, já conseguimos melhorias significativas nas entregas de demandas e principalmente no ambiente da equipe. Os fatos a seguir me fizeram acreditar na agilidade e expandir isso para minha vida.

Fato 1: Mindset Ágil.

Definitivamente, ser Ágil não é seguir metodologia ou framework, mas sim, um mindset, ou seja, é a forma de pensar que deve ser ágil. O mindset ágil simplesmente detona com a procrastinação! Por exemplo:

Estes exemplos que citei acima já aconteceram comigo, alias, ainda acontecem, mas, hoje estou muito mais no lado do pensamento ágil, tem se tornado um hábito. O mais interessante é que vejo isso em toda equipe, simplesmente estamos com um pensamento mais voltado para resolver as coisas, do que passá-las para frente.

Acredito que com este pensamento como cultura, podemos usar qualquer metodologia que seremos ágeis.

Fato 2: Desintoxicação de processos

Eu tenho 35 anos de idade, no primeiro parágrafo deste texto relatei minha trajetória profissional. Sempre trabalhei em grandes empresas e inserido em processos muito bem definidos por anos, muitos processos nunca soube porque existiam, simplesmente era assim e tínhamos que seguir, não tinha abertura para questionamentos (pra mim muito disso pra mim é culpa da ISO).

Reconheço que as gerações mais jovens que eu são muito mais questionadoras, o que é ótimo. Estou vivendo isso no dia-a-dia. Nos questionamos todos os dias o motivo de termos que fazer uma determinada tarefa. Estamos numa grande melhoria contínua, em minha equipe no processo de Análise/especificação de software, já conseguimos reduzir 3 reuniões periódicas para apenas uma. (Em outro artigo detalho melhor esse processo). Já testamos novas práticas, as que funcionaram adotamos, outras deram errado, paramos.

O que realmente importa é que estamos atendendo melhor nossos clientes (internos e externos) e isso é mais importante do que seguir processos extremamente bem definidos.

Ainda sobre processos, veja o vídeo abaixo sobre Conformidade Social, que evidencia como entramos em uma organização e as vezes fazemos coisas que não temos ideia porque são assim ou existem:

Fato 3: Engajamento da equipe

Pra mim, este é o fato mais gratificante de todos. A introdução da cultura ágil, em pouco tempo causou na equipe um sentimento de fazer parte. Os membros do time em todos os papeis (desenvolvedores, analistas, testes…) passaram instintivamente a ter muito mais compromisso com as entregas para os clientes, acontece muito trabalho em par, o conhecimento é difundido entre todos, as pessoas passaram a ter mais entrosamento e a notável consequência disso é a fluidez do trabalho, o time está aprendendo a se auto-organizar sem traumas.

Como disse, pra mim é o fato mais importante de todos, porque se você tem uma equipe competente, entrosada e engajada, o sucesso é garantido.

Fato 4: Aproximação entre as pessoas

Este fato é uma consequência do Engajamento da equipe. A aproximação das pessoas está sendo natural, isso é notável quando existe alguma transição de trabalho entre os papeis da equipe (Analista para desenvolvedor, desenvolvedor para teste, teste para analista, etc.). Antes trabalhávamos pela ferramenta, o analista especificava o sistema e passava para o desenvolvedor, que desenvolvia e passava para o teste, que testava e passava para a validação do analista. Veja que a interação entre as pessoas era mínima.

Atualmente incentivamos o trabalho em par, analistas explicam face a face a especificação do sistema, desenvolvedores desenvolvem e chamam o analista para dúvidas, os testes são feitos em par entre desenvolvedores e testadores. Em resumo, os problemas e soluções são definidos na conversa e não passado como bastões via ferramenta.

Conclusão

  1. Relatei alguns fatos que presenciei na equipe em que trabalho, porém, é claro que não chegamos no estado da arte das equipes, porém, acredito que o mais importante estamos conseguindo, o pensamento para resolver as coisas o mais rápido possível e o compromisso com as entregas.
  2. Sou novo quando o assunto é Agile, porém, no pouco tempo que estou estudando sobre o assunto e aplicando na prática, já testemunhei mudanças importantes no ambiente de trabalho.
  3. Acredito que a grande sacada do movimento ágil é a melhoria contínua, questionar se o que está funcionando não pode funcionar melhor, testar novas formas de trabalho, medir resultados, aprender com os erros e repetir o ciclo.

Por hora é isso, esta é minha segunda publicação, estou aberto a feedbacks positivos ou sugestões de melhoria.

Um grande abraço,

Marcelo Araujo

Analista de Sistemas.