9 dicas para se sentir um new yorker

Esqueça o estilo turistão ao visitar Nova York e se transforme em um nativo

Dica 8: Bronzeamento no Central Park — Fotos: Jessica Raphaela

Nova York é cidade de turista. São mais de 55 milhões de visitantes por ano fascinados pelos prazeres oferecidos na ilha, segundo a NYC & Company, órgão de turismo da cidade. Eu não sei vocês, mas eu detesto parecer turistona, com mapa aberto no meio da rua e câmera pendurada no pescoço. Prefiro me sentir parte dos 8,4 milhões de moradores, procurando roteiros menos convencionais e interagindo com os nativos.

Quando você vive um período maior que um mês por aqui, começa a perceber que os nativos não são bem nativos, mas pessoas de outros estados e países que encontraram algum conforto em Nova York. Até hoje não conheci alguém nascido e criado em Manhattan. Isso é raro. Ser um new yorker transcende a naturalidade. Não é a característica física, um estilo, um sotaque que os colocam no mesmo pacote. O que os define são comportamentos muito peculiares.

Depois da minha profunda pesquisa antropológica, exponho o guia de como parecer um new yorker. Antes de começar, finja não se impressionar demais com a cidade. Ame-a, mas com um certo desdém.

1- Almoce no parque
Normalmente, sou bem forasteira nessa cidade. Mas me senti uma novaiorquina quando saboreei meu primeiro almoço em um parque. Sentei num desses bancos de praça, tirei a salada da sacola e comi ali mesmo. Quando você chega na city vê todo mundo fazendo a refeição na rua, sem mesa nem nada. Às vezes, nem precisa de um parque com uma paisagem legal. Só um banco pra se acomodar já é suficiente. E o cardápio é variado, sanduíche, sushi, pretzels, tacos…Comida típica aqui é comida do mundo inteiro.

2- Dispense o guardanapo
O lance é pegar a comida com a mão mesmo. E não se desespere quando o sanduíche começar a se desfazer. Aja naturalmente e finja que não se incomoda com a mão suja de molho. Depois que terminar, aí sim, você pode recorrer a um guardanapo. Outra coisa importante: normalmente os guardanapos ficam em algum canto do restaurante onde você mesmo tem que pegar. Então, nem adianta pedir para o balconista, ele no máximo vai apontar o lugar com uma má vontade.

3- Garfo e faca na pizza é piada
Um verdadeiro new yorker come a (enorme) fatia de pizza sem prato e talheres, e com uma só mão (esquece o guardanapo também). Se você tentar apelar para o garfo e faca, vai sofrer bullying, já aviso. É preciso muita prática — e camisa manchada — pra alcançar o nível de coordenação motora de um novaiorquino na hora de comer uma pizza.

4- Não perca tempo parado
Por falar em coordenação motora, o pessoal daqui também tem uma técnica — que ainda não desvendei — para se safar das muvucas em ruas como a Times Square. Eles são rápidos e safos, não esbarram em ninguém. Você também tem que pensar rápido na hora de fazer um percurso a pé, para não perder tempo em sinais de trânsito, ou atrás de pedestres lentos. Viu uma situação na qual está tudo parado, crie um caminho novo e vá.

5- Não tenha vergonha de ser rude
Nem sempre dá pra sair ileso em meio à multidão. Sempre vai ter um turista perdido pelo caminho, andando lentamente pela esquerda, olhando para cima impressionado com os prédios altos. Se você ficar naquela dança do “pra lá, pra cá” (que particularmente acho engraçada de tão constrangedora), faça como um nova-iorquino: bufe sem cerimônia na cara da pessoa. Às vezes, eles são rudes e soltam um “fuck” depois de um esbarrão. Se for direcionado a você, tente não se ofender.

6- Nunca perca o trem
Uma coisa que novaiorquinos nunca perdem é o metrô. E eles têm uma espécie de sexto sentido que avisa, mesmo ainda fora da estação, que o trem está parado lá em baixo, no subsolo. E aí, meu amigo, sai da frente, porque a correria é grande. Neste caso, ative o turbo, desça as escadas com velocidade e use o corpo pra impedir que a porta se feche. Também não se constranja com as pessoas olhando pra você enquanto a porta te espreme. Se doer, disfarce. Se o tempo nos 50 metros livres não forem suficientes pra alcançar a linha de chegada, finja mau-humor (mas por dentro você vai estar aliviado por saber que em cinco minutos aparece outro trem).

7- Prepare-se para andar
O bom new yorker não se cansa de andar. Se você não é muito acostumado a usar os pés como meio de transporte, prepare-se fisicamente, porque suas costas vão doer. Se alguém te disser “vamos andando, é perto”, desconfie. Não vai ser perto. O perto deles é muito longe pra quem usa o carro até pra ir à padaria (sim, isso rola em Brasília). Mas com o tempo você se acostuma e percebe que uma das coisas mais legais da cidade é caminhar, ver os bairros, conhecer os cantos. Vou dizer que meu preparo físico ficou bem melhor só com essas andanças, e as costas já nem doem mais.

Pode se molhar nas fontes, sem vergonha

8- Faça um bronzeamento no parque
O verão é, sem dúvidas, a estação preferida dos new yorkers. É visível como o calor faz falta a eles durante o inverno. Por isso os parques ficam lotados em dias de sol. Lotados! Às vezes, nem precisa ir ao Central Park, qualquer pedaço de grama já é suficiente para se estender no chão. Também rola umas sessões de bronzeamento. Então, ponha seu biquíni (aquele modelo feio americano) ou tire a camisa fingindo estar na praia. Também não tenha vergonha de se molhar em alguma fonte, parece ser socialmente aceitável por aqui.

9- Disfarce o frio
Frio para os novaiorquinos são temperaturas abaixo de zero, quando até o transporte público para de funcionar por conta das nevascas. Portanto, se fora do inverno, você for à rua e achar que é um dia frio, disfarce a tremedeira. Você vai sair todo agasalhado, quentinho, e ver pessoas de bermuda e camiseta, felizes pelo fim da estação mais fria do ano.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.