Tecnologia diminui distância para o conhecimento

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Rio Grande do Sul coloca à disposição de estudantes a Realidade Aumentada como ferramenta de educação

Quando o jogo Pokemon Go estourou no mundo e no Brasil, entre julho e agosto de 2016, junto popularizou uma tecnologia virtual: a Realidade Aumentada (R.A.). Para a equipe do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Rio Grande do Sul (Senai-RS), desde o ano passado ela se transformou em ferramenta de educação. Ou seja, antes do lançamento do game que estimula a caçada ao bichinho famoso nos anos 90, a R.A. se tornou uma facilitadora do ensino no Senai-RS. Funciona da seguinte forma: ao posicionar a câmera do aparelho móvel, equipado com um aplicativo, em locais indicados do livro didático, salta aos olhos do aluno uma imagem em 3D, por exemplo, de um sistema elétrico, com o qual é possível o interagir.

Vídeo demonstrativo RA

Essa é apenas uma das ferramentas da instituição gaúcha, que estruturou uma verdadeira central de inovação em tecnologia de ensino, incluindo seu Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). Outro exemplo são os óculos que possibilitam visualizar um ambiente em 360 graus, se movimentar e desenvolver atividades dentro dele. Junto ao acessório, é acoplado um celular com um aplicativo, responsável por inserir o aluno no local, seja uma unidade móvel do Senai, uma indústria e assim por diante. Alguns shoppings de Porto Alegre oferecem o serviço, também, como diversão — simulam movimentos de montanha russa e outras aventuras. O objetivo do Senai-RS é aproximar, cada vez mais, as pessoas e o conhecimento e disseminar a qualificação profissional.

Vídeo demonstrativo Óculos 3D

Já os simuladores 3D proporcionam aos alunos experiências muito próximas ao do ambiente industrial real — é a teoria aplicada na prática, onde quer que esteja. Seja nas unidades fixas ou móveis, na educação a distância (EAD), essas tecnologias facilitam o aprendizado em qualquer modalidade de curso da instituição. “O objetivo do Senai é levar oportunidade de formação e qualificação profissional a um número cada vez maior de pessoas. A nossa educação sem distância facilita essa formação com a mesma qualidade das aulas presenciais. Com internet, um computador, um tablet, ou mesmo um celular, qualquer lugar se transforma em local de aprendizado. O aluno também conta com a infraestrutura das unidades do Senai para colocar em prática seus conhecimentos, por meio de encontros com os docentes, ensaios e experimentos”, afirma o diretor-regional do Senai-RS, Carlos Trein.

Vídeo demonstrativo Simulador 3D

Um protótipo pioneiro do Senai gaúcho é o livro didático digital, elaborado em parceria com o Senai Nacional. Não se trata apenas de uma publicação online, a qual é possível folhear, mas um aplicativo no qual são incluídos vídeos explicativos, textos e exercícios de interação. “Queremos tornar a aprendizagem mais significativa, real, atraente e prazerosa”, explica o gerente técnico de Desenvolvimento Educacional do Senai-RS, Claiton Costa.

Prática simulada

A instituição realmente acredita que no EAD a distância está apenas no nome, e que essa modalidade promove, sim, a aproximação entre pessoas e conhecimento. “Aquilo que o estudante simula virtualmente, quantas vezes quiser, sem risco de queimar uma máquina, sofrer um acidente, tudo isso ele pode colocar em prática na aula presencial na estrutura do Senai”, relata Costa. Hoje, são 25 cursos disponíveis entre técnicos, de qualificação, iniciação e aperfeiçoamento profissional, em áreas como Redes de Computadores, Automação Industrial, Eletroeletrônica, Mecatrônica e Norma Regulamentadora número 10.

Vinícius Peres de Oliveira, de 19 anos, é aluno do curso técnico em Redes de Computadores e percebeu na distância uma alternativa para preparar o futuro profissional. A avó Zenaida Peres acompanha de perto os passos do neto, que, apesar das dificuldades — é um aluno com necessidades especiais — também comparece às aulas presenciais. Essa oportunidade inspirou Zenaida a escrever algumas linhas sobre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial. O texto de carinho e reconhecimento já chegou ao Diretório Nacional da instituição.

Depoimentos: Vinícius e D. Zenaida

Outro exemplo de quem se mostra satisfeito com a experiência em EAD e as tecnologias que facilitam o aprendizado é Renan Alexandre Nunes, 25 anos, morador de São Sebastião do Caí e também estudante do curso técnico de Redes de Computadores. “Eu não estava acreditando muito por ser a distância, mas tudo fica mais fácil com as tecnologias oferecidas pelo Senai e, por exemplo, a possibilidade de tirarmos dúvidas online, por meio de tutores”, opina Nunes.

Depoimento: Renan

Jefferson Henrique Pinheiro faz coro à declaração do colega. “Quando eu me deparei com ferramentas como o simulador da estufa, fiquei maravilhado. Aquilo não perde em nada para a simulação real”, comenta.

Depoimento: Jefferson

Não é apenas para os estudantes a distância que toda essa tecnologia está disponível. “Deslocamos muitas dessas tecnologias para o ensino presencial também — nas unidades fixas e, cada vez mais, nas móveis. Podemos dizer que hoje, com o ambiente virtual que implantamos, são utilizadas em todas as modalidades que o Senai desenvolve”, explica Claiton Costa. É o Senai investindo na virtualidade e mobilidade para diminuir a distância entre as pessoas e o conhecimento.

Poema de D. Zenaida