Um levantamento da Associação Brasileira de Startups (ABStartups) mostrou que, ao final de dezembro de 2015, o número de empresas em estágio inicial no Brasil chegou a 4.151.

A estatística representa um crescimento de 18,5% em relação ao primeiro semestre. Essa informação sinaliza como o ecossistema empreendedor continua fervilhante, apesar da desaceleração econômica. Com tantas pessoas apostando em suas ideias de negócio, é natural que muitas não entendam o processo de transição de fundador a CEO. Quando tudo começa a decolar, é hora de baixar o volume da empolgação e se concentrar no (difícil) trabalho que é fazer um negócio dar certo.

Pés no chão

Você conseguiu convencer pessoas a investirem na sua ideia ou se organizou para tirar seu negócio do papel. Curta esse momento, mas não se prolongue no torpor do orgulho de si mesmo. Agora vem o maior desafio: fazer sua empresa se estabilizar e crescer. Supere o lugar de “criador-coruja”. Sua ideia genial não vai a lugar nenhum se você não assumir a frente do trabalho.

Conselhos são bem-vindos

Não seja arrogante a ponto de dispensar conselhos que podem ser valiosos para sua empresa. É natural que muitas pessoas venham até você com sugestões e orientações. Ouça e lembre-se sempre que você não tem muita experiência e conselhos são bons amigos nesse estágio. Não tenha vergonha de buscar ajuda e pedir informações a quem entende do assunto.

Filtre as informações

Ao mesmo tempo, não adianta entrar em parafuso. Nem tudo que você ouvir das pessoas é aplicável ao seu negócio. Nem sempre o que te sugerirem é possível. Nem todos que estão falando têm embasamento para isso. Não se desespere e entenda que é fundamental filtrar o que é realmente relevante para você e sua empresa.

Ser CEO significa sair da “bolha do fundador” e tomar as rédeas do seu negócio. Boa sorte!
Show your support

Clapping shows how much you appreciated Smart’s story.