O Signo Ágil: seu Significante e seu Significado

Em termos linguísticos, signo é um elemento de comunicação que pode ser usado no lugar de outra coisa. Nós usamos os signos para recortar o mundo conceitualmente e transformar esse recorte em algo transmissível para outras pessoas, formando o que chamamos de linguagem.

Esse conceito foi introduzido pelo linguista e filósofo suíço Ferdinand Saussure. Para ele, o signo era a combinação de dois elementos essenciais para a linguagem humana: o significante e o significado. Quando você diz ou escreve a palavra “caneta”, por exemplo, o som dessa palavra, ou sua grafia, representa o seu significante. Já o significado é a “ideia ou conceito” por trás do termo: um “utensílio contendo tinta com que se pode escrever ou desenhar”.

Assim, o significante é o elemento perceptível, sensorial, concreto do signo; enquanto que o significado é a sua representação mental, é o seu conceito. Enfim, a ideia por trás da coisa. Para nos comunicarmos, precisamos do concreto *e* do abstrato (sim, há um AND nesse IF).

Nessa perspectiva, o que seria “entender algo”? O seu entendimento sobre algo nada mais é do que o processo de dar significado ao significante. Mais especificamente, dar um bom, útil e correto significado ao significante. Harmonizar o signo.

Na medida em que o signo começa a se afundar em muitos níveis de significado, essa harmonia se deteriora. Esse é o caso do Ágil, certamente. Estamos inundados em uma grande confusão de signos que precisam conversar entre si em uma grande rede conceitual. A estrutura e coerência dessa rede passa a ser de extrema importância para nós.

É assim que conseguiremos descobrir o que fazer, o que decidir, que caminho seguir e como reagir às anomalias inesperadas que surgem no processo. O jeito certo não é mais suficiente. É preciso se orientar para fazer a coisa certa.

Todo o meu esforço atualmente no Software Zen tem o objetivo de ajudar as pessoas a enxergarem quais são os elementos essenciais desse "signo Ágil". Mais do que isso, o foco é levá-los a um entendimento mais aprofundado sobre as relações de trabalho contemporâneas, ou seja, o que significa ser um trabalhador do conhecimento no século XXI. Os conceitos Ágeis operam em cima disso.

Enfim, o desafio se resume basicamente a se engajar em um processo de viver experiências, refletir sobre elas, e então articular os conceitos que nos ajudarão a resolver o problema de "como dar significado ao significante".

Enquanto o Ágil se espalha por empresas de todo o país, há, na minha percepção, uma crise de signo linguístico. Nós sabemos qual é a mecânica do método. Sabemos como ele se manifesta concretamente. Quais são os papéis, as cerimônias, os artefatos, as ações a serem executadas. O significante está claro. É simples, e direto.

E quanto ao significado? Bom, aí não é tão simples assim. Pelo menos, ainda não. É apenas no nível de significado que entenderemos e seremos capazes de encenar, em nossos projetos, as ideias que, de fato, nos conduzem aos resultados concretos: dar foco em problemas de negócio; ter visão sistêmica; estipular metas compartilhadas para a promoção do trabalho colaborativo; adotar uma abordagem iterativa; buscar menos output, e mais outcome; fazer gestão de valor ao invés de gestão de escopo; tratar as pessoas como os elementos centrais dos processos; e tantas outras.

Tudo isso faz parte da rede de significados do “Signo Ágil”. O problema é que essa rede ainda não está bem traçada. Não está bem conceitualizada e explicada nas empresas. É preciso ir além da mecânica dos métodos para encontrar os conceitos e ideias que os fazem funcionar. É assim que conseguiremos traçar a rede conceitual necessária para apoiar a empresa nessa transformação.

Como conectar tudo isso em uma única filosofia coerente para pensar e agir? Como cada um pode ajudar o outro a entender essa rede em todos os seus nós? Esse é o problema que o Software Zen tenta endereçar hoje… seu propósito:

Simplificar e articular temas complexos para dar mais clareza às pessoas sobre o que fazer na condução de seus projetos e negócios na área de tecnologia.

Um significante sem um significado claro gera uma comunicação confusa. É como se estivéssemos conversando usando palavras sem “um significado compactuado” no meio das frases. O resultado é a ineficácia.

Como diria Ackoff, esse é o caminho que nos leva a tentar fazer do jeito certo a coisa errada. Só que dessa forma, o resultado mais provável é a gente se tornar ainda mais errado, mesmo se esforçando ao máximo para fazer do jeito certo.


Quer saber como dar significado para o que é significante no mundo dos projetos Ágeis? Fique ligado! Já vai começar o maior evento online de gestão de software do país! Não há lugar melhor para estar do que lá, se o seu problema é entender e ajudar os outros a entender o que realmente significa ser Ágil no mundo atual. Saiba o que vem por aí…