Análise Mode — Resident Evil: Revelations

Após surgir no Nintendo 3DS (2012) e pintar no Xbox 360 — PlayStation 3 — Nintendo Wii U e PC (2013), chega a vez do Xbox One e PlayStation 4 de receber o excelente Resident Evil: Revelations.

Lançado no início de 2012 para o portátil Nintendo 3DS, Revelations acabou se tornando um dos grandes títulos da consagrada franquia de zombies da Capcom.

Mas o que é Resident Evil: Revelations? Aonde ele se encaixa na linha do tempo desta franquia? E o que este (re)relançamento oferece?

A revelação

Dentro do universo na franquia Resident Evil, Revelations tem uma trama rica em detalhes e reviravoltas, ficando entre os acontecimentos de Resident Evil 4 e Resident Evil 5, com uma BSAA (Bioterrorism Security Assessment Alliance) recém-criada, tendo Chris Redfield e Jill Valentine como agentes em campo e principalmente, heróis.

A organização tem que lidar com as consequências da aniquilação do projeto “Terragrigia”, uma ilha / cidade que foi alvo de um ataque bioterrorista do grupo “Il Veltro”.

Vale lembrar que a trama tem referências explícitas à obra de Dante Alighieri: “A Divina Comédia”.

Mudanças no gameplay?

Para a versão Xbox One e PlayStation 4 de Resident Evil: Revelations, a Capcom preparou 4 configurações de controle (Shooter 1, Shooter 2, Classic 1 e Classic 2) baseadas em outros títulos da franquia, tornando a experiência flexível e convidativa para veteranos e novatos que acomoda diferentes estilos de se jogar.

O “up” gráfico

É nítido e claro os incrementos visuais adicionados em Resident Evil: Revelations para quem acompanhou o título desde a disponibilização no Nintendo 3DS. Agora temos melhores efeitos de luzes, partículas e texturas, que podem ser observados logo nas cenas iniciais do game.

O pacote completo

Este (re)relançamento de Resident Evil: Revelations para Xbox One e PlayStation 4 vem acompanhado com o pacote completo e padrão para remasterizações: 1080p de resolução, 60 frames por segundo e todo o conteúdo adicional lançado / disponibilizado nas versões Xbox 360 — PlayStation 3 — Nintendo Wii U e PC.

O Raid Mode está presente e com suporte para jogatina online e compatibilidade com a ResidentEvil.Net, rede oficial da Capcom que oferece brindes in game (armas e modificadores de status, no caso de Resident Evil: Revelations) e fornece estatísticas sobre seu desempenho nos títulos da franquia.

O Story Mode não ganhou adições neste relançamento…mas o Raid Mode ganhou a inclusão do stage “The Ghost Ship: Chaos”, com armas e upgrades poderosos e criaturas reposicionadas em diversos locais, oferecendo um desafio ainda maior.

O som do desespero

A trilha sonora não é o ápice da franquia (algo que Code: Veronica e Resident Evil 2 mantém com maestria até hoje), mas as composições de Revelations conseguem criar um clima para momentos de exploração (música calma) e combate ou apreensão (música acelerada). Se o jogador tiver um sistema de som eficiente ou um excelente headset / fone de ouvido, a experiência ganha outro nível de imersão!

Algo errado?

A física e resposta das criatura aos danos recebidos continuam com aquele ar da produção original do portátil da Nintendo, passando a sensação de que não ocorreu o hit / impacto do acerto.

Resumindo

Resident Evil: Revelations é + 1 excelente opção para os fãs da franquia em 2017, ano que já ofereceu um “renascimento” à franquia com o lançamento de Resident Evil 7.

Este relançamento no Xbox One e PlayStation 4 é uma versão “definitiva” para fãs e uma boa chance de apresentação do título para quem não jogou ele no Nintendo 3DS — Xbox 360 — PlayStation 3 — Nintendo Wii U e PC!

Nota: 3.5 / 5