judia de mim. por que não judiar mais?

o sorriso que voltou a pairar em minha irracionalidade, sorri para dentro de mim pela primeira vez. é surreal, é real, é novo. e, sim, é bom.

me sinto completo. finalmente.

eu já posso sambar, conversar e sorrir.

me desprender de cada pedacinho meu que fez mal . sim, tudo passou. meu musicar já não te prende mais. mas mantenho tudo que foi construído.

tudo.

é só esperar, viver e tentar chorar sempre que puder.