Perceba.

No auge da juventude, quando todo mundo decidia seus caminhos, eu estava escolhendo o meu também. Mas teria sido muito mais fácil se o caminho fosse livre, e essas mesmas pessoas escolhendo os caminhos delas não virassem obstáculos no meu. Quanto mais eu parava para observar meus colegas mais eu ficava perdido e me sentia inferior ao que todo mundo parecia ser. O problema era que eles só pareciam ser. E eu descobri isso muito depois. Todo mundo mostra o melhor de si, e quanto mais eu tentava ressaltar os defeitos de alguém no fim eu só lembrava dos meus. E só depois de muito tempo que eu descobri que ficar tempo demais percebendo os outros não permitia que eu me dedicasse a me perceber.