Se você trabalha com o que gosta, não se importa de trabalhar muito — Startupdareal Respostas #2

Precisamos pensar antes de repetir algumas frases

Startup da Real
Feb 21, 2018 · 4 min read

Bobagem.

Pura conversa de startupeiro.

Trabalhar com o que gosta é realmente mais fácil, mas isso não significa que, porque você gosta de algo, trabalhar 10 ou 12 horas diárias se torna menos cansativo e estressante.

A vida tem outras necessidades além do trabalho. Se você está 12 horas num escritório, é indiscutível que você está prejudicando relações pessoais com sua família, amigos, filhos, marido ou esposa.

Não precisa ser muito bom em matemática para saber que, se você está trabalhando 12 horas por dia, não faz exercícios físicos e tende a comer mal. Sem falar nos inúmeros danos à saúde causados pelas longas horas de trabalho, amplamente demonstrado em artigos científicos.

Não é papo de preguiçoso, é a ciência.

Um profissional workaholic é uma bomba relógio. Faz muito, mas você sabe que em algum momento vai espanar. Vai sofrer por estresse, ter algum problema de saúde e ser afastado para tratamento.

Você investiria numa empresa que está indo muito bem, mas com toda certeza vai quebrar dentro de pouco tempo? Eu também não.

Um workaholic sofre do mesmo mal. O profissional pode até desempenhar muito bem por um tempo, mas o acumulo de estresse certamente prejudicará seu desempenho e até ficar impossibilitado de trabalhar por um longo período.

Esse papinho de “se você gosta do que faz, você trabalha muito sem se importar” é só um discurso raso para forçar pessoas a trabalharem mais e sem reclamar das cobranças exageradas. Já que, caso não concordem com o argumento, estarão assumindo que não gostam do que fazem e, sendo assim, não são profissionais bem sucedidos.

É jogar com o ego para direcionar uma ação. E caso você decida assumir que não ama seu trabalho, vai ouvir a clássica frase “então você deveria pedir demissão e fazer algo que goste”, como se de fato fosse resolver o real problema.

É cada vez mais vergonhoso no meio profissional assumir que não gosta do que faz. Está todo mundo tentando parecer bem sucedido e inventando desculpas para justificar porque trabalham onde trabalham. Nunca estão lá só para pagar as contas, é sempre um propósito maior, você já pode imaginar o motivo.

Mas precisamos ser claros e honesto.

Mesmo que você goste muito do que faz, isso não significa que tudo é um mar de rosas. Trabalhar é obrigação. O grande choque enfrentado por pessoas que transformam suas paixões em profissão é o desgosto fazer algo que sempre foi divertido por obrigação.

Escolha sua comida favorita e tente comer de estômago cheio. Quando não aguentar mais, continue forçando. O sabor da comida ainda é o mesmo, mas comer forçado, quando não está com vontade, é nauseante.

Trabalhar com o que gosta também. Quando vira obrigação, as coisas mudam um pouco de figura. Trabalhar com o que ama é o jeito mais fácil de não amar mais nada.

O argumento também esquece que existem prazos, clientes, cobranças, reuniões, estresse, chefes autoritários e abusivos, transporte público, burocracias e uma série de outras atividades que independem de gostar ou não da profissão, mas que normalmente é onde mora o problema.

Em grande parte, fazer seu trabalho, a parte que você até gosta, é um pequeno pedaço de um mundo de atividades tediosas e muitas vezes estressantes.

Não é difícil olhar para esse papo e entender que segue o puro padrão de sinalização de virtude, um discurso feito apenas com o propósito de destacar-se num grupo por possuir uma suposta moral superior.

Gostar do que faz é bom, mas nem de longe resolve os problemas de se trabalhar demais.


Este conteúdo faz parte do Este livro não vai te deixar rico, uma coletânea com os melhores artigos do Startup da Real para você ter sempre com você ou presentear seus amigos.

http://bit.ly/livro-startupdareal

Se você curtiu o texto, não esqueça de seguir o @startupdareal no Twitter, dar 50 claps no texto e compartilhar o conteúdo no seu Linkedin.

@startupdareal

Os bastidores do circo empreendedor

Startup da Real

Written by

Os bastidores do teatro empreendedor

@startupdareal

Os bastidores do circo empreendedor