A tecnologia salvando vidas!

Quando se tira o melhor de uma tragédia.

O Brasil é o quarto país do mundo que mais mata no trânsito, isso de acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde). Aqui são registradas 47 mil mortes por ano, mais de 400 mil ficam com algum tipo de sequela e custam cerca de R$ 56 bilhões anuais, além de ocupar 55% dos nossos leitos hospitalares.

Esta estatística cruel acabou atingindo Adriana Mallet, hoje à frente da startup 192 SMART— o aplicativo com o mesmo nome surgiu como resposta a uma tragédia pessoal. Em 2016, uma amiga muito próxima da médica e CEO da empresa, foi atropelada numa calçada da Rua Cardeal Arcoverde em São Paulo, por um motorista embriagado que dirigia em alta velocidade.

No dia seguinte, ela faleceu. O acontecimento motivou Adriana, que já trabalhava como médica emergencista no SAMU e como coordenadora do Núcleo de Ensino em Saúde da instituição, a buscar formas de reduzir o tempo de atendimento em casos semelhantes, explica Gabriel Toug, porta-voz da startup.

O número 192 representa a linha de emergência do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), em caso de colisões, o aplicativo detecta de forma automática e envia a localização e a ficha médica do usuário aos serviços de emergência, propiciando uma resposta mais rápida e precisa, o que pode significar a diferença entre vida e morte nessas situações graves no trânsito.

Atualmente o aplicativo é também uma resposta tecnológica para agilizar o atendimento de urgência no Brasil, e uma forma inteligente de mapear zonas de risco nas cidades e estradas brasileiras. Com a sua utilização, dados anônimos e sigilosos são coletados e ajudam a identificar locais com potencial riscos de acidentes.

“Esses dados balizam a gestão pública a entender onde há necessidade de melhorias, como instalação de sinalização, semáforos, rotatórias, lombadas etc., bem como a realização de campanhas educativas focadas em determinados públicos ou sobre determinados assuntos”, acrescenta Toug.

Além disso, o app tem um botão de emergência que pode ser acionado por qualquer usuário que presencie uma ocorrência grave, seja um acidente de trânsito, ou uma urgência médica, como um engasgamento em adulto ou criança, queda de idoso, parada cardiorrespiratória ou trauma, por exemplo. Ao acionar o botão, um chamado é realizado para o SAMU local e o usuário pode agilizar o atendimento ao informar a condição das vítimas. A localização precisa do ocorrido também é enviada de forma automática ao SAMU, o que reduz o tempo de resposta e aumenta a chance de sobrevivência da vítima.

Até o momento, mais de 200 cidades em seis estados das cinco regiões brasileiras, estão negociando a implementação do 192 SMART como solução de aceleração do resgate e prevenção de novas ocorrências de trânsito. Desde 2017 o aplicativo já está rodando totalmente na cidade paulista de Limeira, a 150 km da capital, são mais de 6 mil usuários ativos na região.

“ Nós entendemos que no mercado há outros players trabalhando com dados para avaliação de motoristas e prevenção de ocorrências na área de smart cities, como Scipópolis e o próprio Google, por meio do aplicativo Waze, por exemplo, no entanto os principais concorrentes do 192 SMART na área de tecnologia, atuando na mesma área, tornaram-se parceiros em função ao propósito social do projeto”, finaliza Gabriel.

*O 192 SMART está disponível para download gratuito para sistemas operacionais iOS e Android. O app já pode ser baixado e utilizado em todo o território brasileiro, mas à medida em que parcerias vão sendo estabelecidas com serviços de resgate de cada cidade e/ou Estado (SAMUs ou Corpos de Bombeiros, conforme o caso), mais serviços ficam disponíveis para os usuários.