Um top 10 com os melhores versos de Nicki Minaj neste ano

Em comemoração ao lançamento de “Swish Swish”, que marca o décimo lançamento de Nicki Minaj só no primeiro semestre, resolvemos fazer um ranking dos melhores versos da rapper.

Obviamente, Onika Maraj não ia conseguir pensar em tanto assunto para tanta música em tão pouco tempo, então espere muitas referências aos dois anos que ela passou sem divulgar um álbum. Muitas mesmo.

10. REGRET IN YOUR TEARS

O último lugar do nosso ranking não é muito justo porque a canção nem tem o rap como foco, mas é que a música é bem qualquer coisa mesmo.

Se não fossem as referências diretas à alguns sucessos de Nicki, diríamos que “Regret in Your Tears” foi descartada de algum projeto do Drake.

“You don’t even know right / Call my line, call my line, I’m like, “Please, boy” / You just need to leave, boy / I ain’t got time for you / Just once, do somethin’ for me, boys”

9. “KISSING STRANGERS”

Particularmente eu acho estranho um rapper colaborar com uma banda, mas se a DNCE está no caminho para substituir o Maroon 5, quem somos nós para reclamar, né?!

Apesar de não ser nada espetacular, Nicki ganha pontos por acompanhar o ritmo. O aqui problema é que ela não consegue mais se controlar e enfia o “this bitches is my sons” de um jeito ou de outro.

“I gotta lotta sons, I could show you all the sonograms / Me? I’m Jem, and these bitches is the holograms / Me? I win, and these bitches just lose / They ship sink, but my ship, it just cruise”

8. “CHANGED IT”

“Changed It” foi lançada no combo dos três primeiros singles do novo álbum de Nicki Minaj e tem a participação de seu mentor Lil Wayne.

Assim como o single foi ofuscado por “No Fraud”, os versos de Nicki são ofuscados por Wayne, que praticamente toma a canção para si.

“MJ to the teens, I am Billie Jean and the bitch is my son / I’m doin’ it for fun, I am the first number, tell them bitches I won”

7. “LIGHT MY BODY UP”

Ainda não tivemos uma parceria entre David Guetta e Nicki Minaj que tenha sido ruim. “Light My Body Up” segue essa invencibilidade.

Nicki consegue balancear seus momentos cantando e fazendo rap, mas peca por insistir em atacar Remy Ma em um momento que todos já haviam esquecido a rixa.

“Yo, I just started my sentence like a capital letter / Got bars for years, I hope you send me a letter / Know she’ll never be queen, so now she got a vendetta / I ain’t talkin’ ‘bout David when I say I’ma Guetta”

6. “SWALLA”

Você não imaginaria que Jason Derulo, Ty Dolla Sign e Nicki Minaj funcionariam tão bem juntos até ouvir a tal música. “Swalla” é provavelmente a canção com maior potencial para hit dentre todas que ela lançou neste ano.

Na parceria, temos Onika com versos ágeis, referências divertidas e até sua famosa (e excêntrica) risada.

“How y’all wifing these thots? You don’t get wins for that / I’m having another good year, we don’t get blimps for that / Pussy game still cold, we don’t get minks for that / When I’m poppin’ them bananas, we don’t link chimps for that”

5. “SWISH SWISH”

Assim como Taylor Swift precisou de Kendrick Lamar para fazer “Bad Blood” soar menos infantil, Katy Perry resolveu que também precisava de reforço.

Onika conseguiu ser o auge da canção, utilizando seus versos para falar indiretamente sobre todas as suas inimizade (Remy Ma, Meek Mill, Miley Cyrus) o que pode ou não incluir Taylor Swift.

“Pink Ferragamo sliders on deck / Silly rap beefs just get me more checks ¹ My life is a movie, I’m never off set / Me and my amigos (no, not Offset)”

4. “NO FRAUD”

Essa canção poderia facilmente ser representada pelo meme da “Nicki Minaj reflexiva”, onde a rapper reflete como ela é poderosíssima.

A reposta para os ataques de Remy Ma não entra no nosso top 3 porque a “rainha generosa” é tão desprendida que resolveu dar mais tempo do que deveria para os amigos Drake e Lil Wayne, quando ela poderia facilmente brilhar sozinha.

“You can’t be Pablo if your work ain’t sellin’ / What the fuck is this bitch inhalin’? / I woulda helped you out that pit you fell in / I am the generous queen! Ask Ms. Ellen”

3. “BOM BIDI BOM”

A parceria entre Nick Jonas e Nicki Minaj foi uma das poucas coisas que se salvaram na decepcionante trilha-sonora de ‘Cinquenta Tons Mais Escuros’, e se você assistiu o filme, sabe que ela funcionou muito bem.

Depois de Nick deixar você molhada (não disse por onde), Nicki entra para dar seu show. Os versos foram descritos pela rapper como um de seus favoritos, e devemos concordar que, apesar de curto, ela não decepciona. O que é aquele sotaque, gente?!

“Yo, give me the muny, the yen and the pesos / Sext me on the beach in Turks and Caicos / I give him that work, that twerk that slay hoes / Sippin’ Grey Goose, and pushin’ that grey ghost”

2. “MAKE LOVE”

A música que quase iniciou a 3ª Guerra Mundial surpreendeu por vários motivos, incluindo o lançamento que ninguém esperava e o teor de sua letra. Pelo bem ou pelo mal, Nicki Minaj colocou Remy Ma nos holofotes, principalmente para aqueles que só acompanham o mundo pop e suas adjacências.

A inesperada reunião de Nicki Minaj com Gucci Mane trás a rapper em um extenso verso de quase dois minutos onde ela ataca sua rival de todas as maneiras possíveis. Onika é tão debochada que tirou duas frases só para rir. Para de pisar, eu te imploro!

“You see, silly rabbit, to be the queen of rap / You gotta sell records, you gotta get plaques / S, plural like the S on my chest / Now sit your dumbass down / You got an F on your test”

1. “RUN UP”

O primeiro lugar da nossa lista pode deixar muitos surpresos, mas ele não foi escolhido de forma aleatória. Em “Run Up”, Nicki Minaj mostrou o quão versátil e adaptável consegue ser em uma só canção.

Aproveitando a produção do Major Lazer, a minha (e sua) rapper favorita consegue se reinventar e surpreender. Nicki consegue até inserir um sotaque e dialeto jamaicano para provar que ela pode tudo, só nos resta aceitar.

“‘Bout to drop a album, this is my fourth / I don’t put sugar in my spaghetti sauce / Drop a freestyle and get these hoes parched / Fire burn the obea man church”

Nicki Minaj conseguiu cobrir Pop, Hip/Hop, Rap, Dancehall, House e EDM, tudo isso em menos de cinco meses. Vocês querem, outras?