Vamos ser sinceros: errar não é legal

Mistificamos o erro. Pode ir contra tudo o que você tem ouvido falar por aí nesse mundo da inovação. Afinal, estamos falando de tentativa e erro, e toda vez que erramos aprendemos algo novo. Mas, cá para nós, quando você erra, o que você está tentando de fato é acertar, não é mesmo? Não ter medo de errar objetivando o sucesso não tem nada de errado. Mas achar que todo erro é legal não deveria fazer muito sentido na cabeça nenhum empreendedor.

Quando definimos MVPs e traçamos um plano de testes, nos colocamos em uma zona de risco e desconforto interessante onde acertamos e erramos. Nela, aprendemos e desconstruímos uma série de hipóteses que foram projetadas anteriormente. Mas esses são erros e acertos controlados. Não estamos aqui errando por errar, estamos sempre focados no acerto!

Ultimamente, tenho lido muito sobre como é ruim planejar, como é errado gastar tempo projetando ideias porque isso é coisa de grandes corporações, e não tem nada a ver com o cenário de inovação que vivemos hoje; ele é dinâmico demais para isso. Aí, eu começo a questionar os negócios que tenho visto dar certo, e também os que vi fracassar, que são a enorme maioria. Quem foi basicamente pela tentativa e erro, em sua grande maioria, fracassou! Quem olhou para o mercado e fez um planejamento mínimo deu muito mais certo, ou chegou um pouco mais longe.

Planejar não é ficar meses sentado atrás de uma cadeira sonhando, ao contrário do que muita gente diz por aí.

Todo mundo deveria ter um plano. Ele pode ser simples: vou construir um modelo de negócios com as minhas hipóteses, definir o que preciso fazer para validar cada uma delas e como vou mensurar esses testes para enfim lançar meu produto de forma gradativa, sem gastar tanto esforço sem saber se a coisa vai dar certo. Dá para fazer isso em uma ou duas semanas e começar a operar o negócio. Fazer a coisa de modo descontrolado não me parece inteligente. Já vi muita gente desenvolvendo ideias, colocando ações em prática e dando com a cara no muro na hora que colocaram o produto no mercado porque ninguém, ou quase ninguém, comprava.

Outro dia, vendo uma palestra de uma referência na discussão de design de negócios em Brasília, me deparei com a seguinte fala:

“Erre, erre e erre mais um pouco! Quanto mais você errar, mais próximo você vai estar do produto ideal. Não tenha medo disso, faz parte de empreender!”

Será? E se eu gastasse dois, três dias pesquisando? E se eu projetasse um perfil de consumidor de forma simples e empírica e conversasse com cinco ou seis pessoas sobre essa ideia? E se eu tentasse, de formas rápidas e baratas, diminuir a chance de errar? A lógica do MVP não é essa?

Eu acredito justamente no contrário: erre pouco e erre certo. Do contrário, o seu negócio tende a morrer na praia.

Nas próximas semanas, vou falar sobre três ferramentas muito conhecidas e simples para planejar seu negócio de forma rápida e prática que vão te ajudar a errar menos e aprender com os erros certos que você vai cometer.

Os posts de continuidade desse artigo já estão sendo disponibilizados desde quarta feira no meu blog. Clique aqui e confira o primeiro artigo sobre algumas ferramentas que podem te ajudar na hora de montar um negócio!

Se quiser mais novidades sobre empreendedorismo e inovação, siga meu perfil aqui no Medium ou no Facebook. Posts novos todas as quartas feiras!

Gostou do post? Role a tela para baixo e clique em Recommend. Significaria muito para mim! ☺

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.