Precisamos aprender a errar.

O erro existe, e vai acontecer.

Shit Happens..

Não deveria ser um tabu, todos erramos.
Tecnologia não é uma ciência tão exata quanto imaginamos.
Ideias boas também dão errado.
Ideias ruins podem dar certo.
Isso na empresa, família, projetos paralelos.

Na empresa que trabalho, nosso negócio é vender papéis que valem uma certa quantia em dinheiro, que podem variar de valor de acordo com o tempo.

Nosso negócio não permite erros. Nenhum negócio permite.
Nosso papel é evitar que eles ocorram e quando ocorrerem, corrigir o mais rápido possível para que isso não impacte a vida do cliente.

Mas erros acontecem.
E vão acontecer.
E de novo.
E mais uma vez.

Não necessariamente só erros. Muitos acertos também. Mas o foco agora são os erros. Como lidar com eles?

Imaginemos que nosso cenário agora é outro.

Somos uma empresa que vende um serviço de versionamento de código. Código fonte de milhares de empresas estão dentro da sua plataforma.

Uma desatenção, um ERRO e seu banco de dados e backups foram deletados. Simplesmente já era.

Desesperador, né!?

Redes sociais bombando, Trending Topics no Twitter, clientes desesperados.

O que fazer?

UMA STREAMING! Caraca, que ideia genial! Meus clientes ficarão super felizes de verem nossos funcionários resolvendo essa bucha em real time. Só que não.

SÓ QUE SIM!!!

Um erro, vários efeitos colaterais.
Isso precisa ser corrigido AGORA!. (Essa aposto que você já ouviu rs)

Não importa como. O cliente tá maluco querendo fazer deploy para corrigir algum erro dele também.

TRANSPARÊNCIA.

Fingir que nada aconteceu a essas alturas do campeonato seria um tiro no pé. Empresas podem falir se perderem seu código fonte.

Qual a nossa prioridade? Recuperar o código fonte, oras!

Problema corrigido.

Algumas horas de indisponibilidade.
Ficaram algumas pontas soltas, mas ninguém perdeu código.

Possivelmente perderemos alguns clientes.
Possivelmente perderemos credibilidade.

Mas pensando bem… Se tivéssemos escondido o erro e fingido que tudo estava bem, teríamos os mesmos problemas.

Com o agravante da falta de transparência com o cliente. Ninguém saberia o que estava acontecendo.

O erro

Foi causado por um erro humano? Sim.
O erro poderia ter sido evitado? Sim.
Foi feito algo que evitasse que esse erro não ocorresse? Não.

Culpados? Não importa!! Apontar um culpado em meio ao caos não vai resolver seu problema.

A solução

Recuperar o código perdido, estabilizar a plataforma e informar a todos os clientes o que realmente aconteceu, como corrigiram e como vão evitar que aconteça de novo.

Os envolvidos? Segue o jogo!

Isso realmente aconteceu. Com a GitLab. Acompanhei pelo Twitter e partes da Streaming do pessoal do GitLab. Realmente na hora pareceu loucura.

Mas resolveram. E com reconhecimento de boa parte da comunidade.

E essa foi a reação da comunidade…

Mas calma lá!

O GitLab é uma ferramenta para desenvolvedores. Desenvolvedores lidam melhor com esses cenários pois no geral já sofreram na pele. 
Então fazer um Streaming faz certo sentido. Mas não quer dizer que seja a solução do problema de todos.

Como as pessoas impactadas reagiriam melhor? Como você passaria mais segurança de corrigirá esse problema e que ele não voltará a acontecer?

(Momento balde de água fria)

Quem aqui nunca subiu um código que quebrou algo em produção?
Se ainda não subiu, pode ter certeza que um dia vai subir.. E não estou sendo cuzão.. Apenas acontece.

Errar faz parte do processo de desenvolvimento de software.

Claro que não precisamos por todo nosso negócio em “xeque”. Mas alguns erros vão sim acontecer. Não adianta fingir que não.Ah, mas se …

Devemos tirar o "vai que" do caminho

Se..

Se…

Quantos “se” vão aparecer no caminho.

Para cada “se” colocado com medo de dar errado, adicionamos mais uma barreira de insegurança para todos os lados que nos priva de tentar pensar fora da caixa.

Se eu tivesse colocados mais alguns “se”s com medo de errar, nem teria começado a escrever isso aqui.

Ou talvez escrito e não publicado..

Vai que… Eu erre..

E daí? Podemos sim errar.

Saidera

Não podemos deixar que a procura por um culpado seja maior que a procura por uma solução.

E a solução nunca é achar um culpado.

Vai sem medo. Com prudência. Mas vai, porra! Tá esperando o que para tirar aquela ideia foda do papel?

Tente, não crie amarras para si com medo de errar

Vai sem medo! — Um dos valores da Vizir

E não se esqueçam

Só erra quem tenta.
Nossa zona de conforto é nosso inimigo, saia dela!
Pra deixar do jeito que estava, era melhor nem ter vindo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.