A Primavera Árabe ou o Inverno da Civilização?

Passam hoje 6 anos sobre as manifestações na praça Tahrir, no Cairo que levaram à queda do presidente Mubarak

Passado este tempo e com a Primavera Árabe no seu ocaso, é altura de nos interrogarmos…

Valeu a pena?

A Primavera árabe enquanto manifestação popular teve na minha opinião um objectivo supremo…

Suprimir os governos laicos existentes em alguns países, substituindo-os por governos de cariz mais religioso…

Aí reside o grande problema destes países…

O governo mais religioso em países árabes é normalmente de índole extremista…

Quando se vêem imagens do Irão e do Afeganistão nas décadas de 60 e 70, e se comparam com imagens de hoje, vemos que os regimes dos Ayatollahs e dos talibans apenas levaram esses países a serem governados numa lógica de medo e submissão totais à lei islâmica…

Como curiosidade o termo taliban, significa estudante de teologia…

Não existe no islão, o conceito de moderado…

Para um católico a Bíblia é o livro que testemunha a existência de Deus…

Para um muçulmano, o Corão é um livro que rege a sua vida…

A primavera árabe trouxe um enorme retrocesso civilizacional aos países onde foi implementada, levando a um decréscimo dos direitos das mulheres…

[caption id=”attachment_1512" align=”aligncenter” width=”800"]

Fotografia de Peretz Partensky — Inserida na galeria do Flickr[/caption]

Onde estão as feministas anti-Trump?

Com efeito em países em que as mulheres começavam a ter alguma liberdade, rapidamente após os movimentos ditos de “libertação” as mulheres voltaram praticamente à idade média, sendo obrigadas a usar “Burka”, ou a serem proibidas de sair de casa sem um acompanhante masculino.

Surgiram nesses países movimentos radicais como o Daesh, mas noutros normalmente pacíficos assistiu-se na mesma medida ao aparecimento desses movimentos…

O Boko Haram na Nigéria é um desses exemplos…

A primavera árabe “libertou” a Jihad e só agora nos começamos a aperceber e a tentar minimizar essa “libertação”…

Após a primavera árabe têm ocorrido centenas de atentados, sempre com um denominador comum…

São levados a cabo por árabes…

Ontem o primeiro ministro Holandês dizia que “quem não gostar das tradições holandesas tem que abandonar o país”…

Já vai tarde…

Os milhares de árabes que deixou entrar, começam agora a tornar-se uma ameaça ao simpático povo do mar do norte…

Como em tantos outros países, os árabes que chegaram à Europa não fazem o mínimo esforço de adaptação…

No entanto querem obrigar-nos a aceitar todas as suas crenças…

O mundo é depois da chamada Primavera árabe, um local mais perigoso…

[caption id=”attachment_1513" align=”aligncenter” width=”800"]

Fotografia de DVIDSHUB — Inserida na galeria do Flickr[/caption]

Os muçulmanos passaram a ser vistos com desconfiança…

Com medo…

Existe hoje na Europa uma espécie de vergonha encapotada por termos aceite tanta gente com uma cultura muito diferente da nossa…

Por isso e em sentido oposto os movimentos europeus anti-islão, começam a ter muita força…

Estamos a caminhar para o nascimento de estados policiais…

Com enormes medidas de segurança por todo o lado…

Teria sido tão fácil evitar isto…

Bastava tentar entender uma cultura que incita ao ódio contra os “ínfieis”…

Sob alguns aspectos o islão não saiu da idade média…

Continua erradamente a ver os católicos como “Cruzados”…

As mulheres como seres inferiores…

Urge tirar conclusões daquilo que representou a Primavera árabe…

Para o islão uma forma de chegar ao poder religioso…

Para o mundo civilizado ocidental um enorme retrocesso civilizacional…

Ler outros textos de António Franco: Aqui… e se gostou, partilhe este texto para que mais pessoas possam ler!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.