Este estranho gosto pela vida…

Hoje parei no Intermarché para comprar pasta de dentes…

Vi na capa de um jornal, o anterior líder do Bloco de Esquerda, João Semedo a defender um referendo à eutanásia…

Como se a vida pudesse ser referendada…

A sociedade imaginada pelo Bloco é uma sociedade surreal…

Se pudesse ser posta em prática, não duraria três gerações…

Uma sociedade em que a morte prevalece sobre a vida, quer na forma de aborto quer na forma de eutanásia, é uma sociedade condenada ao desaparecimento…

As causas fracturantes do Bloco e dos seus apaniguados, sempre foram estranhas…

Quer na forma de legalização de estupefacientes, quer na defesa das minorias, o Bloco sempre assentou os seus ideais de sociedade em coisas que o ser humano normal não compreende…

A eutanásia é a cereja no topo do bolo…

Fundamentalmente a legalização da morte, porque é disso que se trata, vai abrir as portas a um sem número de outras coisas aberrantes que aquelas cabeças conseguem imaginar…

Uma rede de cuidados paliativos, confere ao doente em estado terminal, uma morte digna…

A eutanásia pelo contrário limita-se a matá-lo…

Impiedosamente…

Quem já passou pelo medo de perder alguém muito próximo, sabe a importância que mais uns dias de vida do seu ente querido têm na sua vida…

Não imagino alguém ficar satisfeito por permitir que um pai ou uma mãe, possam ser mortos um mês antes do tempo que habitualmente viveriam…

Mesmo ainda que muito doentes, o facto de sabermos que ainda estão vivos, faz qualquer pessoa ter esperança numa eventual melhoria do seu estado.

A eutanásia vem pela sua essência, acabar com essa esperança…

A sociedade vem perdendo valores ao longo da última década…

A desumanização a que temos assistido, tem na autorização da eutanásia, o seu expoente máximo…

As pessoas que defendem esta aberração, serão provavelmente as que deixam os seus pais em macas de hospital, enquanto postam fotos de cães e gatos no Facebook…

A sociedade que acha legítimo matar um bebé in utero, é a mesma que dorme com um cão ou um gato na sua cama…

Pobre sociedade…

Os valores cristãos que o Bloco abomina, deram origem a um tipo de sociedade solidária…

Com regras…

Em que a vida se sobrepunha a tudo…

Hoje assistimos a uma luta desenfreada pela legalização da morte…

Uma espécie de Mengele legal…

É importante lutarmos pelos valores que sempre nos dignificaram enquanto sociedade…

Sermos arautos da vida e não anunciadores da morte…

Importa ter a coragem de dizer que os valores que nos consubstanciaram enquanto modelo social se mantêm vivos…

Fortes…

Sob pena de um dia destes sermos condenados à morte apenas por sermos mais velhos…

Não deixemos nunca que o direito a morrer seja mais importante do que o direito a viver…

Porque esse é o único que faz de nós melhores pessoas…

Ler outros textos de António Franco: Aqui… e se gostou, partilhe para que mais pessoas possam ler!

Este artigo foi publicado originalmente no site tapaaosal.pt