Photo by Djim Loic on Unsplash

O que eu (ainda) estou fazendo no Grupo ZAP?

André Maldonado
Oct 28, 2019 · 5 min read

Não vou mentir, essa não foi a primeira vez que me questionei isso. Quando recebi meu cartão de aniversário de empresa, e nele dizia: “11 anos entregando resultados”.

11 anos, mais tempo numa empresa do que o tempo de vida do meu filho mais velho.
11 anos, mais tempo numa empresa do que o tempo de vida do meu filho mais velho.

Depois desse lembrete, fiquei me questionando: “11 anos na mesma empresa… Tô maluco?”, porém, não precisei de muito tempo para me lembrar dos motivos de estar aqui.

Com isso resolvi escrever esse post para que mais pessoas entendam e, talvez, se identifiquem.

1 — Somos diferentes e nos respeitamos

Isso é algo tão, mas tão essencial para mim, que não consigo nem cogitar estar em uma empresa onde a diversidade não seja respeitada. Lugares onde ouvimos piadinhas com pessoas que não são como alguns pensam que todas deveriam ser. Aqui no Grupo ZAP respeitamos as pessoas, sejam elas quem forem, com suas crenças, estilos, orientações sexuais, visões de mundo, opiniões, etc.

2 — Fazemos o certo

Este é mais um ponto com o qual me identifico muito. Não importa sobre qual ponto de nossa cultura estejamos falando, nós fazemos o que é correto, independente de ser algo fácil ou não.

Um exemplo disso foi um reajuste recente que fizemos nos salários de diversas pessoas, pois entendemos que estávamos pagando um valor incorreto. Isso não foi baseado em mérito, performance ou qualquer avaliação do trabalho da pessoa, era apenas a coisa certa a se fazer. Não podíamos perpetuar um erro a partir do momento em que o identificamos.

3 — Eu tenho voz, todas as pessoas têm voz

Eu não lembro de ter passado por alguma situação onde vi algo que estava errado e que tenha me posicionado e lutado contra aquilo, que não tenha conseguido resolver. Não estou falando isso para me gabar, como se eu fosse um grande resolvedor de problemas, pois não sou, estou dando o meu exemplo apenas pois é sobre o qual posso falar com mais propriedade. Eu poderia falar sobre algumas lutas que a Priscila ou o Luiz tenham brigado para resolver e conseguiram.

Nós podemos falar e ter a certeza de que seremos ouvidos, seja para melhorarmos algo ou para perceber que não estávamos corretos.

4 — Mantemos uma régua alta, sem esquecer de quem está começando

Não trabalhamos apenas com profissionais, trabalhamos com as melhores e os melhores. Temos pessoas incríveis Design, Produto e Engenharia. Algumas das pessoas que trabalharam conosco e deixaram a empresa foram ocupar, pelo menos boa parte delas, cargos de senioridade em grandes empresas pelo mundo (saudades Daniel Mezzatto Rodrigues, André Carvalho Silveira e tantas outras).

Todavia, não basta termos as melhores pessoas e nos esquecer que existem outras tantas entrando no mercado e que precisam de ajuda. Recentemente promovemos para Engenheira 1 uma pessoa que foi estagiária e jovem aprendiz. Estamos (no momento da escrita desse post) ajudando o Perifacode, trazendo para dentro de casa e apoiando o belo trabalho que essa galera faz.

Eu tenho prazer em trabalhar com pessoas tão capacitadas.

5 — Trabalhamos com tecnologia de ponta

Trabalhar com pessoas tão capacitadas naturalmente faz com que trabalhemos com tecnologias que não costumamos ver em qualquer empresa. Às vezes acontece de algo que está no mercado não ser o suficiente para nós e precisarmos criar nossas próprias soluções, como é o caso do Aegir, por exemplo.

Outro exemplo é a nossa plataforma de dados. Utilizamos por quase um ano e meio o Druid enquanto ele ainda era beta e temos um Spark customizado para nossas necessidades.

6 — Não temos hierarquias rígidas

Como temos muitas pessoas na empresa, entendemos que alguma hierarquia nos ajudaria, mas essa hierarquia não é rígida. Não existe nada que impeça ninguém de tomar uma decisão com autonomia e responsabilidade. Todas as pessoas têm acesso a todas as outras. Se você quiser falar com o CEO, é só sentar-se ao lado dele, encontrá-lo no elevador, em qualquer corredor e bater um papo ou até mesmo marcar um 1:1. O mesmo vale para qualquer cargo. Não temos HiPPO.

Eu já trabalhei em outras empresas onde a hierarquia era rígida, precisávamos apenas abaixar a cabeça para as decisões e aceitar tudo. Não aguentei. Aqui, por muitas vezes, já dei feedbacks duros para pessoas que estão bem acima da “minha hierarquia”.

7 — Nos ajudamos

Num passado distante (estou velho) trabalhei em empresas onde as pessoas não se ajudavam, pelo contrário, algumas tentavam até mesmo atrapalhar outras. Não somos assim, nós investimos o nosso tempo onde outras pessoas precisam de ajuda. Fazemos isso todos os dias, em todos os níveis. Ninguém aqui precisa ter vergonha por não saber algo e precisar perguntar, sempre terá alguém disponível para ajudar. Poderia citar tantos exemplos disso que esse post se transformaria em um livro.

Um momento bem recente onde isso aconteceu foi o caso do Luan ajudando pessoas recém-chegadas na empresa, ou o Marcio Rodrigues, Caio Silva e Inocencio De Souza Soares Neto (back-ends) codando no front para não interromper o trabalho da galera.

8 — Não escondemos que temos problemas

Somos uma empresa com muitas pessoas. Só na área de Design, Produto e Engenharia somos em quase 180 pessoas, com aproximadamente ~40 vagas abertas, é inevitável que tenhamos problemas. O mais legal não é apenas que falamos sobre eles de maneira aberta no Townhall, com as pessoas de gestão ou nos nossos 1 on 1, é também o quanto trabalhamos para resolvê-los.

Por exemplo, identificamos um tempo atrás que, apesar de nos respeitarmos, tinhámos muito o que melhorar na questão da diversidade. Criamos a guilda de diversidade que já realizou uma série de ações de inclusão que foram incríveis. Uma delas foi uma série de palestras de conscientização para toda a empresa, outra é o safe place para mulheres.

9 — Work-life balance

Nós trabalhamos bastante, investimos nosso tempo de maneira a conseguirmos trabalhar o máximo possível, mas fazemos isso sempre sem sacrificar nenhum aspecto de nossas vidas pessoais.

Mantendo esse balanceamento, nos divertimos, sabemos que precisamos de um tempo descansando, de café, de conversa, de vídeo-game, tênis de mesa, RPG, etc. Nos organizamos em grupos de interesse e separamos um tempo para isso. Quem gosta de jogar Fifa, joga, quem curte um RPG, tem mesa para diferentes gostos.

No momento da escrita desse post estamos no meio do campeonato de Fifa, onde temos diversas pessoas, de diversos cargos, participando.

O mais importante de tudo

Ok, você vai encontrar isso tudo o que escrevi aqui em outros posts de outras empresas e startups. Então qual é a diferença?

A diferença é que eu não escrevi sobre o que planejamos viver ou sobre o que está escrito nas paredes da empresa, estou falando sobre o que vivemos todos os dias, com exemplos reais e recentes. Quando converso com outras pessoas, de outras empresas, vejo que são poucas as que conseguem viver o que pregam. Muitas tem discursos bonitos, mas na prática a realidade acaba sendo outra.

Não somos perfeitos, admitimos isso. Mas estamos dando o nosso melhor para construir aqui dentro um mundo melhor do que temos do lado de fora.

Tech@Grupo ZAP

Como fazemos tecnologia nos maiores portais de imóveis do Brasil

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade