Equinócio-o-que?

Texto: Marco Paulo Ollivier
Imagem: Banco de imagem

Desde as 11h e 21 minutos de hoje — 22 de setembro de 2016 — foi iniciada oficialmente a primavera no hemisfério sul, que vem acompanhada de um grande fenômeno astronômico conhecido como equinócio. Mas o que é um equinócio afinal de contas? Para responder essa pergunta, precisamos entender melhor como funciona o movimento da Terra em relação ao Sol e como isso influencia as estações do ano.

Chamamos de Revolução, ou Translação, como é popularmente conhecido, o movimento que a Terra faz em torno do Sol e que leva aproximadamente 365 dias, 5 horas e 48 minutos. Durante esse período é possível notar, muitas vezes sem a necessidade de equipamentos de medição, momentos com temperaturas médias mais elevadas ou mais amenas. Esses períodos são conhecidos como Estações do Ano.

Duas características na revolução da Terra são fundamentais para termos estações muito bem definidas. A primeira é o fato da órbita da Terra, apesar de elíptica (ou seja, em um determinado momento, a Terra está mais distante do Sol e em outro, mais próxima), sua variação distância em relação ao Sol é tão pequena que não influencia nas temperaturas do planeta a ponto de interferir nas características básicas das estações do ano; e a segunda característica, e a mais importante nesse contexto, é o fato do eixo de rotação da Terra ser inclinado em relação ao eixo vertical de sua órbita em torno do sol. Por conta dessa inclinação, em diferentes épocas do ano, cada hemisfério terrestre recebe quantidades diferentes de calor.

Dois eventos astronômicos marcam o início de cada estação do ano, esses eventos ocorrem duas vezes por ano e são conhecidos como: Solstício (Inverno e Verão) e Equinócio (primavera e outono).

fogto

O Solstício ocorre quando o Sol está em sua distância angular máxima em relação ao Equador Celeste (que é o prolongamento do equador terrestre). O hemisfério terrestre que estiver mais próximo do Sol estará no solstício de verão, enquanto o que estiver mais distante estará no solstício de inverno. O Solstício é marcado pelo dia e pela noite mais longa do ano (diferença de insolação entre hemisférios).

Enfim o Equinócio…

O que nos interessa mesmo no momento é o Equinócio. Antes de qualquer coisa, é importante frisar que, para a astronomia, o equinócio é o auge da estação e não o início da primavera e início do outono como foi convencionado. Os equinócios ocorrem quando os dois hemisférios (norte e sul) estão recebendo ao mesmo tempo exatamente a mesma quantidade de luz solar. Se no solstício nós temos dias ou noites mais longos, no equinócio acontece o contrário, onde em qualquer ponto da Terra os dias e as noites têm exatamente 12 horas cada.

Curiosidade: O equinócio de março (Primavera no hemisfério norte) historicamente marca o fim do rigoroso inverno, fato que era bastante festejado. Fato que levou a estação receber esse nome que, etimologicamente, significa “Primeira Estação”.

Quando ocorrem

foto2

Essas variações ocorrem devido ao calendário que utilizamos no cotidiano (365 ou 366 dias por ano).


Nota: A título de referência, “Equinócio-o-que?” foi uma tentativa de homenagear o grande Astrônomo da Fundação Planetário do Rio de Janeiro, Alexandre Cherman, que além de me servir de inspiração para continuar no caminho da Física e da Astronomia, seus livros são como arautos do conhecimento. Em suma o título tenta fazer uma referência ao livro “Cosmo-o-que: Uma introdução a Cosmologia”, do próprio Alexandre. Livro este que recomendo fortemente.


Fontes
CHERMAN, Alexandre — O céu: histórias e estrelas — 2012 — Fundação Planetário;
CHERMAN, Alexandre; VIEIRA, Fernando — O tempo que o tempo tem: por que o ano tem 12 meses e outras curiosidades sobre o calendário — 2008 — Editora Zahar.