Mapa de tendências digitais 2019

O mapeamento de tendências dos estudantes de Design Digital da PUCPR continua de vento em popa. No último semestre de 2018 conseguimos elevar o número de tendências identificadas de 1422 para 1700. O mapa compilado a partir do esforço dos estudantes ao longo destes 2 anos revela claramente quais são as tendências mais influentes entre eles.

Mapa interativo com links

Pôster para impressão em PDF

Legenda

Verde: tendências no Platô de Produtividade

Amarelo: tendências na Rampa de Iluminação

Vermelho vinho: tendências no Vale da Desilusão

Vermelho: tendências no Pico de Expectativas Exageradas

Rosa: tendências no Estopim Tecnológico

Tamanho do círculo: número de ligações recebidas, equivalente a influência

Tendências digitais e conservadorismo

Analisando o mapa com as ferramentas do Gephi, percebi um padrão interessante. As ligações que partem das tendências no nível Estopim Tecnológico tem como destino mais comum as tendências no grau Platô de Produtividade. O mesmo acontece com as tendências no grau Vale da Desilusão. As tendências nesses dois graus parecem precisar desesperadamente se conectar a tendências já estabelecidas para aparecer.

Cada bolinha é uma tendência. A cor da bolinha representa o grau de maturidade segundo o Hype-Cycle, já a cor da ligação representa a cor da origem da conexão.

Por outro lado, as tendências no Platô de Produtividade buscam, em sua maioria, ligações no mesmo grau ou com tendências no nível Rampa da Iluminação. É mais provável que uma tendência nesse ciclo fechado de tendências estáveis dê origem a uma variação da tendência ao invés de buscar se atualizar com novo do Estopim Tecnológico. Essa evidência, combinada com a quantidade menor de tendências novas, me faz pensar que existe um movimento maior para manter a cultura de design atual do que para transformá-la. Isso é bastante contraditório, pois tendências em design sempre foram associadas à mudanças. Seria isso um reflexo da onda de conservadorismo em nossa sociedade?

Vejamos as megatendências identificadas no mapa.

Nostalgia

O cluster da nostalgia é uma novidade no mapa de tendências e já aparece com várias tendências influentes no grau Platô de Produtividade. A estudante Gabi Prawucki explica esse interesse pela nostalgia da seguinte maneira:

A emergência desse cluster reforça a minha teoria de que as tendências de design contemporâneas estarem sendo direcionadas pela onda de conservadorismo.

Minimalismo

O cluster mais influente deste mapa não é uma novidade, porém, nunca tinha adquirido tamanho grau de centralidade no mapa. A maior parte dos designers da geração atual reproduzem este estilo sem saber que ele foi um movimento que tentou (e continua tentando) manter a sociedade estável através de um mínimo denominador comum. Mais um ponto para a teoria do conservadorismo.

Inteligência Artificial

A inteligência artificial continua sendo um cluster influente, porém, os estudantes acreditam que essas tendências ou são superestimadas (vermelho) ou são desacreditadas (vermelho vinho). Os estudantes de Design Digital não parecem acreditar que a inteligência artificial poderá transformar sua profissão profundamente, inclusive, tornando algumas de suas habilidades obsoletas. O conservadorismo é uma resposta bastante comum a esse tipo de ameaça.

Vídeo Digital

Vídeo está se tornando o formato mais popular de comunicação pela Internet. O cluster de Vídeo Digital já exisitia desde o primeiro mapa de tendências e continua crescendo. A Izabelle Cristine fez uma boa análise da evolução desde cluster que, a princípio não parece ter nada a ver com conservadorismo. Porém, quando você se aprofunda na inteligência artificial por trás do sistema de recomendações de vídeo do Youtube, você percebe porque ele é preferido pelos digital influencers conservadores.

Outras megatendências

Tendências mais lidas

As tendências do último semestre mais acessadas foram:

Conclusão

A utilização do mapa de tendências para identificar megatendências através de clusteres demonstrou ser muito produtiva. Também foi possível identificar o padrão de conservadorismo entre essas megatendências, porém, ainda não tenho uma categoria para descrever esse tipo de padrão.

Tendências Digitais

Observatório de Tendências Digitais da PUCPR foi mantido entre os anos de 2016 e 2018 pelos estudantes da disciplina Laboratório de Tendências de Design Digital e pelo Prof. Dr. Frederick van Amstel (@usabilidoido).

Frederick van Amstel

Written by

Professor de Design de Serviços e Experiências da UTFPR, editor do Usabilidoido e desenvolvedor da @corais_platform.

Tendências Digitais

Observatório de Tendências Digitais da PUCPR foi mantido entre os anos de 2016 e 2018 pelos estudantes da disciplina Laboratório de Tendências de Design Digital e pelo Prof. Dr. Frederick van Amstel (@usabilidoido).

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade