Tecidos inteligentes

A Indústria têxtil é uma das mais antigas, a tecnologia já existia nos teares que transformavam fios de lã em peças vestíveis mas esses vestíveis estão sendo revisitados e, devido uma necessidade de reinvenção no campo da moda, o setor busca por inovação através de wearables e tecidos inteligentes

mAister
mAister
Nov 25, 2018 · 3 min read

Existe uma grande diferença entre tecidos inteligentes e wearables.

Wearables são dispositivos mais focado em hardwares e não muito bonitos, eles ainda parecem mais ferramentas do que de fato algo usável, isso ocorre devido a necessidade de nanotecnologia em sua integração. Muitas vestimentas criadas ainda são intrusivas e acabam atrapalhando os usuários.

Capacete de moto inteligente da marca skully

Um bom exemplo de experimentação é a artista Amy Winters, designer de moda, cujo trabalho está na intersecção entre moda, artes visuais, música, cinema, dança e teatro. Ela é a fundadora da Rainbow Winters — uma etiqueta que procura expressar as capacidades emotivas e estéticas de tecnologias emergentes através de têxteis iluminados, sensores, tintas de mudança de cor e nanotecnologia. Todos os projetos da Amy têm como objetivo fundir moda e tecnologia, e os resultados são roupas incríveis.

A água e a luz do sol transformam o vestido de branco a colorido.

Esse campo está mais focado na questão estética e conceitual, promovendo sim, uma inovação na moda mas ainda longe de atingir seu ápice devido seu preço e exclusividade.

Por outro lado os tecidos inteligentes então de forma mais sutil em nosso dia-a-dia e ganham cada vez mais espaço no setor fabril, que se preocupa com o esporte e sustentabilidade.

Calcinhas da marca Pantys com tecido antimicrobiano

Exemplo de tecidos inteligentes que já estão incorporados, e usados de forma inteligente e com propósito, e vendidos por preços acessíveis são os antimicrobianos que são fibras sintéticas, uma mistura de poliamida e poliéster, que combatem a proliferação de fungos e bactérias. Tecidos como estes são encontrados em calcinhas para serem usadas no período de menstruação que retém o líquido sem que haja vazamento e diminuindo,assim, o número de absorventes descartáveis.

Outro exemplo incrível de inovação em tecidos de Bioculrua, feitos a partir de bactérias provenientes da fermentação, o kombucha. O tecido gerado passa por cortes a laser após sua fabricação e é costurado para criação de peças de roupa. O tecido final não é apenas biodegradável, é comportável. Então você poderia jogá-lo fora como você faria com a casca de vegetais.

Jaqueta da designer Suzane Lee feita a partir do kombucha

Tendências Digitais

Observatório de Tendências Digitais da PUCPR foi mantido…

mAister

Written by

mAister

Drama cotidiano

Tendências Digitais

Observatório de Tendências Digitais da PUCPR foi mantido entre os anos de 2016 e 2018 pelos estudantes da disciplina Laboratório de Tendências de Design Digital e pelo Prof. Dr. Frederick van Amstel (@usabilidoido).

More From Medium

Also tagged Wearables

Top on Medium

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade