A Igreja e a Lei de Deus

Lições Bíblicas CPAD - 1º Trim. 2015
Comentário sobre a Lição 13 - 29/03


PONTO CENTRAL
Ninguém pode ser salvo pelas obras da Lei, porém, 
ela é para os crentes em Jesus Cristo.


A Lei e o Evangelho

Não seguimos a ordem da resvista neste comentário, mas procuramos tão somente oferecer algumas anotações sobre a Graça de Deus em contraste com a Lei, haja vista que tal assunto não é tão comum em nossas aulas de domingo.
Começamos com um comentário esclarecedor da Bíblia Conselheira:

É natural o surgimento de dúvidas em relação ao papel da lei e o seu lugar na nova aliança de Jesus, afinal, os mandamentos de Deus são bons e não ruins, e o Antigo Testamento - onde a lei se encontra - continua sendo Palavra de Deus. Mas o fato é que Deus fez uma obra nova com Jesus.

Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo - João 1.17 ARA

O Apóstolo Paulo diz com clareza qual o papel da Lei – ela serve para revelar e condenar o pecado:

Então, por que é que foi dada a lei? Ela foi dada para mostrar as coisas que são contra a vontade de Deus. - Gálatas 3.19a NTLH

Por isso, nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado. - Romanos 3.20 ARA

O que vamos dizer então? Que a própria lei é pecado? É claro que não! Mas foi a lei que me fez saber o que é pecado. Pois eu não saberia o que é a cobiça se a lei não tivesse dito: “Não cobice”. - Romanos 7.7 NTLH


Ilustrações que nos ajudam a entender o papel da Lei

Em Romanos 7.1–8.1, a lei é comparada ao casamento com um marido, que depois morre.

Em Gálatas a lei é comparada a uma espécie de cuidador provisório de filhos pequenos, uma espécie de “babá”. Quando os pais chegam, a babá não é mais necessária.

Stanley M. Horton a compara a um termômetro, que pode medir a temperatura mas não gera nem calor nem frio.

Há ainda quem a compare a um espelho, que mostra a sujeira mas não consegue limpá-la; ainda que esfreguemos o rosto no espelho, de nada adiantará.

A Lei é boa e santa, pois sua origem é divina, no entanto, estar debaixo dela significa aceitar a obrigação de guardá-la e isso implica em maldição ou condenação:

Já os que são pela prática da lei estão debaixo de maldição, pois está escrito: “Maldito todo aquele que não persiste em praticar todas as coisas escritas no livro da Lei”. - Gálatas 3.10 NVI

A Bíblia Conselheira explica:

…as orientações da lei são boas, mas a obrigação de atendê-las, a ênfase no dever e o medo de errar não são bons e nos tiram a liberdade, prejudicando inclusive o exercício do amor ao próximo.

Não queremos dizer que o crente não deve obedecer a Lei. Como bem assinala o ponto central da lição, a Lei é para os crentes em Jesus Cristo. Devemos observar o amor de Cristo e sua Graça, sempre pedindo ajuda ao Espírito Santo, assim obedeceremos a Lei não de maneira seca e fria, mas espontânea.


Entendendo o que significa estar debaixo da graça

Em seu livro Os Dez Mandamentos, Esequias Soares observa que:

O código escrito é externo, a obediência a ele pode ser artificial, mas a obra do Espírito é interna, transforma o coração humano e provoca no cristão o desejo de fazer a vontade de Deus. A justiça dos escribas e fariseus era da letra da lei, artificial, externa e formalista. Mas os discípulos de Jesus receberam o Espírito Santo; assim, a justiça deles é impressa e profunda, impressa no coração e na alma de cada um com a regeneração (2 Co 5.10). É cumprimento da promessa de Deus desde os profetas (Jr 31.33; Ez 36.27). Por essa razão o procedimento do cristão precisa superar a conduta dos escribas e fariseus (Mt 5.20).

A vida no Espírito é marcada pela liberdade (não a meramente humana, mas a do Espírito):

O vento sopra onde quer. Você o escuta, mas não pode dizer de onde vem nem para onde vai. Assim acontece com todos os nascidos do Espírito. - João 3.8 NVI

“O vento sopra onde quer: ao contrário da vida na Aliança da Lei, onde as regras de certo e errado dirigem tudo, na nova vida o Espírito conduz o cristão com liberdade. Em vez de entender “o que se deve fazer”, a inspiração vem de dentro, com espontaneidade. A conduta do cristão deixa claro que Deus está presente na sua vida, mas isso não é um processo controlado por regras, princípios ou temores humanos, mas antes pelo amor de Deus, algo difícil para um fariseu entender e aceitar.”
- Bíblia Conselheira, SBB


DEVOCIONAL
A DIFERENÇA ENTRE A LEI E A GRAÇA
por D. L. Moody

Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça - Romanso 6.14

Quando Moisés estava no Egito para punir Faraó, Deus transformou a água em sangue. Quando Cristo esteve na terra, Ele transformou a água em vinho. Esta é a diferença entre a lei e a graça. A lei nos diz: “mate-o”, e a graça nos diz: “perdoe-o”. A lei nos diz: “condene-o” e a graça nos diz: “ame-o”.

Quando a lei desceu do monte Horebe, três mil homens foram destruídos (veja Ex. 32.28). Já no Pentecoste, debaixo da graça de Deus, três mil homens encontraram a vida (At. 2.41). Que diferença! Quando Moisés viu a sarça ardente, ele teve que retirar as sandálias des seus pés. Quando o filho pródigo retornou a sua casa, ele recebeu novas sandálias para olocar nos pés. Prefiro mil vezes viver debaixo da graça a viver debaixo da lei.

O que significa para você viver debaixo da graça e não da lei? Tire um tempo hoje para agradecer a Deus por ter entregado seu filho Jesus para morrer por você e que ressuscitou para lhe dar liberdade liberdade e perdão.

Fonte: O melhor de D.L. Moody, CPAD


Bibliografia consultada:

  • Bíblia Conselheira - Novo Testamento. Barueri, SP: SBB, 2011
  • SILVA, Esequias Soares da. Os Dez Mandamentos: valores divinos para uma sociedade em constante mudança. Rio de Janeiro: CPAD, 2014
  • O Melhor de D.L. Moody. CPAD, 2011
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.