Abraão, a Esperança do Pai da Fé

Lições Bíblicas CPAD – 4º Trim. 2016
Comentário sobre a lição 03 – 16/10/16

Texto áureo:
Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia (Hb 11.8).

Verdade prática:
A fé que Abraão tinha em Deus fez com que ele vencesse todos os obstáculos em sua caminhada.

Siglas:
AS21 – Almeida Século 21
KJA – King James Atualizada
NVI – Nova Versão Internacional

Introdução

Na galeria dos heróis da fé (Hb 11), temos o relato de várias pessoas que, pela fé, agradaram a Deus e venceram obstáculos; uma delas é Abraão. Um detalhe significativo é que a Bíblia o apresenta não só como herói, mas também como “o pai de todos os que crêem” (Rm 4.11,16) e ainda como “amigo de Deus” (Tg 2.23 cf. Is 41.8). A narrativa bíblica nos mostra que a fé de Abraão foi provada em vários momentos, e usa sua história como um exemplo de que, tanto no Antigo como no Novo Testamento, o homem só pode ser justificado pela fé. Tanto nesta lição como na próxima, estudaremos alguns aspectos da fé de Abraão. Bons estudos!

I – A chamada de Deus (Gn 12.1–3)

1 – Um projeto divino

De todas as promessas feitas por Deus a Abraão, uma nos chama a atenção por apontar para o futuro, indo além daquele contexto, que podemos chamar de “contexto imediato” ou “contexto próximo”. A promessa está na última parte do verso 3: “em ti serão benditas todas as famílias da terra”.

Essa promessa nos revela que Deus já tinha um plano para abençoar toda a humanidade. O teólogo Warren Wiersbe diz que o propósito de Deus ia além da salvação de Abraão e Sara, que viviam em uma terra pagã:

Deus estava preocupado com a salvação deles; então, em Seu amor, Ele revelou a Sua glória e compartilhou Suas promessas graciosas. Mas, além de sua salvação pessoal estava o propóssito de Deus em abençoar o mundo inteiro. Isso se cumpriu quando Deus enviou Seu Filho ao mundo através da nação judaica. 
Cristo morreu pelos pecados do mundo (1 Jo 2.2; 4.14) e quer que Sua igreja conte as boas novas ao mundo inteiro (Mc 16.15).

Em nota sobre a parte b do versículo 2 (e tu serás uma bênção), o professor Lawrence Richards se regozija:

De Abraão veio o povo de Israel. De Israel veio nossa Bíblia e nosso Salvador. 
Que bênçãos!

Notadamente, esta promessa falava de Jesus. Falaremos dela mais à frente.

2 – O desafio de acreditar no projeto divino

O desafio era grande. Abraão obedeceu ao chamado sem saber para onde este o levaria, pois o próprio Deus não havia revelado. Tudo que o Senhor disse foi “…para a terra que te mostrarei”. Wiersbe faz um comentário sobre como Abraão encarou o desafio que tinha pela frente:

A vida de Abraão é um exemplo para todos os cristãos que querem caminhar por fé. Abraão foi salvo pela fé (Gn 15.6, Rm 4.1–5, Gl 3.6–14) e viveu por fé (Hb 11.8–19), e sua obediência foi a evidência de sua fé (Tg 2.14–26). 
Abraão obedeceu quando não sabia onde (Hb 11.8–10), como (vv. 11,12), quando (vv. 13–16) ou por quê (vv. 17–19) e assim devemos fazer.

3 – Um projeto para abençoar as nações

O comentário deste subtópico se aplica também ao subtópico 3 do tópico III.

Como acabamos de notar no subtópico 1, as promessas de Deus incluíam um plano para muito além de sua descendência imediata ou próxima. O escritor Warren E. Berkley enumera três grandes promessas na conversa de Deus com Abraão: (1) a promessa de uma terra, (2) a promessa de uma nação e (3) uma promessa espiritual.

A promessa da terra foi cumprida; constatamos isso em Josué 21.43:

Assim, pois, deu Yahweh aos filhos de Israel toda a terra que havia jurado dar a seus antepassados. Tomaram posse dela e nela se estabeleceram (Js 21.43 KJA).

A promessa da formação de uma nação também se cumpriu; o cumprimento se deu no contexto do Egito. Veja o que Deus disse a Jacó em Gn 46.3:

E Deus falou a Israel em visões de noite: Jacó, Jacó! Então, Jacó respondeu: Estou aqui. E Deus disse: Eu sou Deus, o Deus de teu pai. Não temas descer para o Egito, porque ali farei de ti uma grande nação (Gn 46.2,3 AS21).

Warren E. Berkley também comenta esta passagem:

Isto é o que Deus disse ao neto de Abraão, Jacó (chamado de ‘Israel’ depois de Gênesis 32). Os descendentes de Abraão também eram chamados de ‘Israel’ e ‘filhos de Israel’ – “Israelitas” – que desceram ao Egito como a família de José, mas saíram de lá como uma grande nação.

Encontramos uma confirmação para o cumprimento desta promessa em Deuteronômio 26.5:

E, diante do SENHOR, teu Deus, dirás: Meu pai era um arameu errante. Desceu para o Egito com pouca gente, viveu ali e tornou-se uma nação grande, forte e numerosa (Dt 26.5 AS21).

Em nota sobre Gênesis 46.27, a Bíblia de Estudo Plenitude comenta:

Jacó entrou no Egito com uma família de setenta pessoas. Sob a liderança de Moisés, os seus descendentes partiram dali mais tarde com cerca de 600.000 varões (Êx 12.37).

A terceira promessa ultrapassa o contexto veterotestamentário:

(…) em ti serão benditas todas as famílias da terra (Gn 12.3b).

Tanto a versão KJA como a AS21 substituem a expressão “em ti” por outra que, na minha opinião, é mais feliz por explicar melhor a promessa à luz do Novo Testamento: “por meio de ti”. Entendemos melhor essa questão quando lemos Atos 3.24–26:

24 Em verdade, todos os profetas, de Samuel em diante, um por um, pregaram e predisseram estes dias. 25 E vós sois os herdeiros dos profetas e da aliança que Deus estabeleceu com vossos antepassados. Ele declarou a Abraão: ‘Por meio da sua descendência, todos os povos da terra serão abençoados’. 26 Sendo assim, tendo Deus ressuscitado o seu Servo, enviou-o primeiramente para vós, a fim de abençoá-los, convertendo cada um de vós das vossas vidas pecaminosas”. Pedro e João levados ao Sinédrio (At 3.24–26 KJA).

Como podemos notar, a expressão “por meio” é melhor compreendida à luz do texto de Atos, significando “através de”, isto é, através da descendência de Abraão, que é Jesus. Em nota sobre o verso 25, a Bíblia de Estudo NVI observa que a palavra descendência “está no singular, e, em última análise, significa Cristo (v. Gl 3.16)”.

Assim também as promessas foram feitas a Abraão e ao seu descendente. 
A Escritura não diz: “E aos seus descendentes”, como se falando de muitos, mas: “Ao seu descendente”, dando a entender que se trata de um só, isto é, Cristo.
- Gl 3.16 NVI

Ainda podemos pensar em uma aplicação devocional com a expressão “por meio de ti” – basta pensarmos nela significando algo como “através do teu exemplo” – sendo assim, aquele que segue o exemplo de fé dado por Abraão, será abençoado. Em outras palavras, é mais ou menos isso que Paulo diz:

Considerai, pois, o exemplo de Abraão: “Ele creu em Deus, e isso lhe foi creditado como justiça”. Estejais certos, portanto, de que os que são da fé, precisamente estes, é que são filhos de Abraão! (Gl 3.6,7 KJA)

A importância desta aplicação reside no fato de nos levar a entender que a justificação do pecador só pode acontecer pela fé. Jesus falou sobre a fé de Abraão em um de seus embates com os Fariseus:

Eu falo do que tenho visto com meu Pai, e vós fazeis o que ouvistes de vosso pai.” Eles contestaram a Jesus, dizendo: “Abraão é nosso pai.” Mas Jesus os corrigiu: “Se fôsseis filhos de Abraão, vós faríeis as obras de Abraão (Jo 8.38,39 KJA).

Jesus estava dizendo que, se os Judeus fossem realmente “filhos de Abraão”, eles teriam tido uma atitude de fé, isto é, teriam crido no que estavam vendo.

Concluímos este tópico dizendo que o projeto de Deus ia além do povo judeu e israelita, uma vez que não se baseava em nenhum tipo de favoritismo, mas tão somente na fé em Cristo, que morreu por todos (Jo 3.16).

E a Escritura, prevendo que Deus iria justificar os não-judeus pela fé, anunciou com antecedência as boas novas a Abraão: “Por teu intermédio, todas as nações serão abençoadas”. Desse modo, os que são da fé são abençoados juntamente com Abraão, homem que realmente creu (Gl 3.8,9 KJA).

II – A provisão de Deus

1 – Abraão sai da sua terra

Abraão comete um erro quando sai de Ur dos Caldeus: leva consigo sua família. A ordem de Deus foi clara a esse respeito: “Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa de seu pai…” (Gn 12.1 NVI). O comentarista Elienai Cabral (2016, p. 37) observa que os parentes de Abraão “não serviam o seu Deus e nem podiam entender sua audácia”. Ao mesmo tempo, podemos entender que a atitude de Abraão revela também uma atitude de fé na provisão de Deus, por isso levou sua família.

O comentário de Asbury faz uma comparação entre a teologia do chamado e a teologia da serpente:

A teologia do chamado (12.1–4) contrasta com a teologia da serpente (3.1–13). Considerando que a última questionou a veracidade de Deus e provocou a desconfiança e a desobediência, que levam à maldição (vv. 14–19), então, agora, o chamado revela a verdade sobre Deus, que solicita confiança e obediência, que levam à bênção.

2 – Abraão enfrenta escassez em Canaã

É difícil dizer porque Abraão foi para o Egito. Há uma divisão de opinão entre os estudiosos. Matthew Henry por exemplo, não acredita necessariamente em uma falha da parte de Abraão. Ficamos com a opinião do nosso comentarista, que é a mesma opinião da bíblia NET (New English Trabslation). Nesta versão há uma epígrafe antes do verso 10 que diz: “A Bênção Prometida em Perigo”.

O comentário do escritor Thomas L. Constable lança luz sobre esta passagem:

Acredito que Abraão correu na frente de Deus indo para o Egito sem uma revelação divina de que deveria ir. Deus abençoou Abraão no Egito apesar de sua falta de fé, e então trouxe-o de volta para a Terra Prometida. Mais tarde, outra fome severa encorajou Jacó e sua família a ficarem um tempo no Egito (47.4), mas Deus havia dado permissão a Jacó para ir (46.2–4). Evidentemente, foi mais uma questão de medo do que de fé que levou Abraão a deixar a Terra Prometida.

O fato de Abraão ter mentido, também foi muito negativo. Ele não deveria ter mentido. Também de acordo com o Doutor Constable, isso foi um erro:

Abraão tentou passar Sarai como se fosse sua irmã porque temia por sua vida. Fazendo isso ele comprometeu sua bênção, uma vez que perdeu sua esposa temporariamente para o Faraó. No entanto, Deus interveio para livrar Abraão e Sara do Egito.

3 – Abraão enfrenta a esterilidade de sua esposa

De fato, a vida de Abraão foi pautada em uma fé verdadeira no Deus vivo. Ele não era perfeito, assim como nós também não somos. Mas caminhou em obediência diante de Deus a ponto de ser chamado “pai de todos os que crêem” e ainda de “amigo de Deus” (2 Cr 20.7, Tg 2.23 cf. Is 41.8). Em certa ocasião, quando falava com ele, o Senhor disse que não lhe ocultaria nada do que fizesse (Gn 18.7). Em nota sobre Gn 12.4, a Bíblia de Estudo NVI assinala:

(…) a prontidão em obedecer, fundamentada na fé, caracterizou esse patriarca durante toda sua vida (v. 17.23; 21.14; 22.3).

Por ser uma pessoa obediente e cheia de fé, Abraão conseguiu esperar em Deus e pôde desfrutar da bênção prometida.

III – As promessas de Deus na vida de Abraão

1 – “Far-te-ei uma grande nação e abençoar-te-ei”
2 – “Engrandecerei o teu nome”

Resumo estes dois subtópicos com as palavras de Richards (2004 p. 54):

‘Farei de você um grande povo’ – tanto árabes quanto judeus consideram-se descendentes de Abraão. Mais de uma nação agora chama Abraão de Pai. ‘E o abençoarei. Tornarei famoso o teu nome’ – a reverência de milhões de pessoas das três grandes religiões monoteístas certamente é cumprimento dessa promessa.

3 – “Em ti serão benditas todas as fmílias da terra”

Vide tópico I, subtópico 3.

Bibliografia

  • WIERSBE, Warren. BE Study Series. Disponível em: BibleGateway. Acesso em 15 out. 2016
  • RICHARDS, Lawrence. Comentário Bíblico do Professor. São Paulo, SP: Ed. Vida, 2004.
  • BERKLEY, Warren E. The Promises of God to Abraham. Disponível em The Expository Files. Acesso em 14 out. 2016
  • CABRAL, Elienai. O Deus de Toda Provisão: Esperança e sabedoria divina para a Igreja em meio às crises. Rio de Janeiro, RJ: Cpad, 2016.
  • HAYFORD, Jack W. et al (Ed.). Bíblia de Estudo Plenitude. Barueri, SP: SBB, 2001.
  • BARKER, Kenneth et al (Org.). Bíblia de Estudo NVI. São Paulo: Editora Vida, 2003.
  • Abury Bible Commentary. Disponível em: BibleGateway. Acesso em 15 out. 2016
  • CONSTABLE, Thomas L. Thomas Constable’s Notes on the Bible. Disponível em: lumina.bible.org. Acesso em: 30 set. 2016.
Show your support

Clapping shows how much you appreciated César Lopes’s story.