Teste de usabilidade — o que é e para que serve?

Teste de usabilidade é uma técnica de pesquisa com usuários. Serve para investigar se o seu produto está fácil de usar e fácil de entender. Com testes de usabilidade descobrimos como as pessoas usam o seu produto, o que elas esperam encontrar ali e — muito importante — que problemas fazem com que as pessoas abandonem o site.

Traduzindo a definição do site Usability.gov:

“Teste de usabilidade é uma técnica de pesquisa utilizada para avaliar um produto ou serviço. Os testes são realizados com usuários representativos do público-alvo. Cada participante tenta realizar tarefas típicas enquanto o analista observa, ouve e anota.”

Da definição acima podemos tirar cinco pontos importantes:

  1. Teste de usabilidade é uma técnica de avaliação.
  2. Pode avaliar um produto, serviço, site, aplicativo, protótipo, desenho no papel.
  3. São testes com usuários representativos. Não vale fazer com o seu colega designer da baia ao lado!
  4. Tem um roteiro de tarefas. A ideia é entender se a pessoa consegue atingir um objetivo, e não vê-la navegando à toa.
  5. O papel do analista é observar e ouvir — não de ajudar a pessoa a navegar. ;)

De forma geral, testes de usabilidade são aplicados de forma qualitativa, com foco em levantar o maior número possível de problemas em uma interface. A quantidade de participantes varia em torno de 5 a 20 pessoas.

Perguntas respondidas com um teste de usabilidade

Testes de usabilidade são muito úteis para responder perguntas do tipo:

  • Os filtros de busca são fáceis de usar?
  • Olhando as métricas, muita gente abandona o carrinho de compra. Por que?
  • Como podemos melhorar a conversão do checkout?
  • Vamos reformular o menu. Será que as pessoas vão continuar encontrando o que procuram?
  • Nosso produto tem um conceito muito novo. Será que as pessoas entendem o que estamos oferecendo?

Mas não servem para tudo. Há casos em que outras técnicas de pesquisa com usuário são mais adequadas. Testes de usabilidade não respondem bem perguntas do tipo:

  • A maioria das pessoas vai pela busca ou pelo menu? 
    Para quantificar caminhos e páginas mais acessadas, é melhor olhar métricas quantitativas do site. Um teste de usabilidade pode te dar informações que complementam, como em que situações as pessoas usam a busca ou o menu, por exemplo.
  • Que cor de botão converte melhor? 
    Um teste A/B é a melhor forma de decidir entre uma versão e outra.
  • Tenho várias opções de nome para o meu produto, queria ver o que as pessoas acham… 
    Para isso, vale mais a pena fazer um grupo de discussão.

Em testes de usabilidade, o foco é principalmente no comportamento: estamos mais interessados no que as pessoas fazem do que naquilo que elas dizem. É claro que é interessante ouvir as sugestões e reclamações sobre o produto, mas é importante ter em mente que nem sempre o que a pessoa diz que faz é o que ela faz de verdade.

Tipos de teste de usabilidade

Há várias formas de fazer testes de usabilidade.

Algumas empresas e consultorias fazem testes em laboratório. Neste caso é necessário recrutar uma pessoa dentro do perfil do público-alvo e combinar com ela um dia e horário para que venha ao laboratório participar da pesquisa. Um moderador acompanha pessoa, passando as tarefas em voz alta e observando a experiência. Se o teste for em sala de espelho, outras pessoas podem observar ao vivo.

No TESTR os testes de usabilidade são remotos e automatizados. Os participantes não precisam se deslocar até um laboratório para participar: podem realizar o roteiro de tarefas em casa ou do trabalho, em seu próprio computador. Também não é necessário um moderador de plantão; os participantes realizam o teste, gravam o vídeo e a equipe recebe depois para analisar. O TESTR utiliza a tecnologia para facilitar o processo e entregar resultados úteis e rápidos. E como boa parte do processo é simplificada, fica bem mais barato que um teste de usabilidade em laboratório.

— 
 Texto adaptado do originalmente publicado por Elisa Volpato no Blog de AI.


Originally published at TESTR Blog.