Flores de plástico

O tempo arrasta para as profundezas
tudo o que ser humano julga
permanente. Tudo se perde nessa
empreitada: amores, sentimentos,
desejos, corpos. Flores de plástico
são como lembranças — o tempo não
as mata, somente as desbota. As
flores de plástico amarelam, suas
cores se perdem assim como a
memória, mas a sua essência
permanece impermeável. Se o tempo é
mais agradável as cores permanecem
por mais tempo. Mas se o tempo é
bravio e a chuva não dispersar tão
cedo, as cores se desbotam com mais
facilidade no próximo verão. O sol
também não pode ser muito quente,
pois o amarelado avança com mais
rapidez. Eu prefiro flores de
plástico. Flores de verdade serão
amanhã o que as lembranças são para
hoje: efêmeras. As flores de
plástico não se desfazem, ficam lá,
postas no vaso da mesma maneira que
foram colocas um dia por alguém.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Rafael Garcia’s story.