#MeuKindle | Crítica do livro infantil Os Dôblins

Eu adoro livros infantis. Acho que eles têm um papel importantíssimo na formação da personalidade das crianças. Crianças que leem, geralmente, viram bons adultos. Eu sempre gosto de me aventurar no gênero para relembrar valores que a gente aprende na infância, e que deveriam ficar por aqui na vida adulta também.

Dito isso, o primeiro livro que li no meu Kindle foi Os Dôblins — escrito peloFrank Engelbert. Foi o Frank quem me convenceu a migrar do iPad para o Kindle e eu achei simbólico que o primeiro livro que eu lesse no e-reader fosse de autoria dele. Mas chega de enrolação, vamos ao livro.

O protagonista do livro é Nicholas, “um menino de dez anos que adora sua vida tranquila, na aldeia em que mora”. Mas a vida de Nicholas está prestes e virar de cabeça para baixo, porque sua mãe está grávida. No universo, é muito raro que mulheres engravidem a segunda vez e, quando o fazem, nascem os dôblins — que podem ser qualquer coisa, menos uma criança humana. Qualquer coisa mesmo, desde um sapo até um gnomo.

A história vai da ansiedade (e medo) de Nicholas em relação aos mistérios de se ter um irmão, passa pelo êxtase das descobertas ao lado de seu dôblin, até chegar nas lutas do menino contra o preconceito vivido na escola e na vila sobre quem tem irmãos.

Nicholas descobre que ter um dôblin o faz especial, mas nem todo mundo está feliz com isso, o que pode colocar o garoto, seu dôblin e seus amigos correndo sérios riscos.

A linguagem do texto é fácil de assimilar e dá a sensação, o tempo inteiro, de que o narrador é um contador de histórias. Nada erudito ou engessado, o tom aqui é de conversa, de proximidade. Diria que é um livro para se ler em voz alta.

Além da linguagem agradável, a história traz nas sublinhas a importância de valores como: não mentir, mesmo que você acredite que é a melhor opção; amar seus irmãos e sua família; não julgar as pessoas; saber que existe coisa que criança de dez anos faz, e coisas que crianças de dez anos não fazem. Enfim, o livro é um festival de aula de boas maneiras, dadas pelo exemplo.

Outro ponto positivo são os personagens: com personalidades marcantes. Ninguém é inteiramente bom, ou inteiramente mal. Mostrando que as pessoas têm diferentes nuances, e que devemos respeitar isso. Mesmo o livro sendo curto, nenhum personagem passa batido.

Com uma mensagem linda de respeito às diferenças, mas sem deixar de lado a grande aventura vivida pelo curioso Nicholas (como cenas dignas de filmes de espionagem), Os Dôblins talvez seja uma obra para ter em casa, para ensinar aos pequenos (e a nós mesmos) um pouco mais sobre como lidar com esse mundo de diversidades.

Os Dôblins está à venda no site da Amazon, pela bagatela de R$7,99.

Like what you read? Give Thandy Yung a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.