5 sinais de que a usabilidade do seu sistema está comprometida

A usabilidade pode ser definida como a facilidade com que o usuário realiza tarefas no seu sistema. Neste artigo teremos como foco o desenvolvimento de software, mas você pode usar essas dicas para identificar problemas de usabilidade em diversos tipos de produto.

1. Você não conhece o usuário

Conhecer o usuário é essencial para que façamos escolhas assertivas no que diz respeito a facilidade de uso de nossos sistemas. Ao desenvolvermos uma função que grava dados, por exemplo, podemos representá-la utilizando um botão com o texto “Salvar”, um ícone de disquete, ou mesmo optar por não utilizar botão e salvar as informações automaticamente, conforme o usuário for editando.

A escolha de uma dessas abordagens depende, dentre outros fatores, das características do seu usuário, como idade e grau de familiaridade com a tecnologia. O recurso de personas — ferramenta que se baseia na criação de personagens fictícios — pode ser utilizado para que toda a equipe conheça os perfis de usuário do sistema e, assim, possa tomar melhores decisões de usabilidade.

2. Seu sistema é difícil de testar

Se um sistema com boa usabilidade é um sistema simples de usar, é de se esperar que também não seja complicado de testar. O ideal é que mesmo as operações mais complexas sejam divididas em pequenos passos, que possam ser realizados através de telas simples e preferencialmente com uma estética minimalista.

Se, assim como eu, você trabalha na etapa de desenvolvimento do produto, sabe que muitas vezes perdemos essa dimensão da complexidade, justamente porque quando desenvolvemos uma solução sabemos como tudo deveria funcionar. Uma boa medida para evitar esses “pontos cegos” é solicitar um feedback para a equipe de testes.

Em geral, pode-se dizer que o analista de teste é o usuário mais avançado da sua aplicação, portanto, se esta pessoa já encontra dificuldades para testar a operação, é muito provável que o usuário final também encontre dificuldade ao utilizá-la.

3. O usuário comete muitas vezes o mesmo “erro”

Eu sei, este é um tópico indigesto, mas por mais doloroso que seja admitir, quando o usuário comete muitas vezes os mesmos erros, ou quando ele sempre encontra dificuldade em realizar determinadas tarefas, a funcionalidade em questão tem grandes chances de estar com a usabilidade comprometida, dificultando a realização das atividades do usuário, e talvez até mesmo induzindo-o ao erro.

Uma possibilidade para identificar esse tipo de situação, e manter a qualidade do sistema, é monitorar a forma com que o usuário está usando a aplicação, fazendo uso de mapas de calor, por exemplo, ou identificando as operações mais problemáticas através de uma análise cuidadosa dos pedidos de suporte. Este tipo de cuidado permite uma constante evolução da aplicação, melhorando a experiência do usuário e reduzindo os custos com suporte.

4. Seu sistema não possui muitas padronizações

É importante que você e seu time definam alguns padrões para o sistema, essa discussão deve envolver tanto questões estéticas quanto semânticas, abordando tópicos como o significado de cada ícone, a escolha de quais termos devem ser utilizados para representar determinados comportamentos do sistema e padrões de cores para representar estados da aplicação.

Consistência e padrões são uma das 10 Heurísticas de Nielsen, e uma das que eu considero mais importantes. Isto porque, uma vez que a definição de padrões está bem feita, automaticamente ganhamos na prevenção de erros, fazemos com que o usuário se sinta mais confortável ao implantarmos novas funcionalidades e tornamos o aprendizado mais fácil, reduzindo os custos com treinamentos, suporte e documentação.

5. Você não tem tempo para usabilidade

Talvez você não esteja dando a devida importância para a questão da usabilidade no seu sistema, e tenha se identificado com os tópicos descritos acima. É importante termos a consciência de que em um mercado competitivo, ter cuidado com estes detalhes pode ser o fator que definirá se o cliente irá escolher a sua solução ou a do concorrente. Por isso, é importante reservar um tempinho no seu ciclo de desenvolvimento para pensar, também, sobre como oferecer uma usabilidade melhor para seu cliente.

Conclusão

A usabilidade é apenas uma pequena fração da experiência de usuário, uma boa experiência de usuário envolve entregar um produto bem feito, bem testado e com um bom suporte. De qualquer forma, espero que os tópicos sobre usabilidade discutidos neste artigo ajudem a iniciar uma reflexão sobre esses detalhes, que em um primeiro momento podem parecer pequenos, mas que impactam diretamente na qualidade do seu produto e na experiência que seu usuário terá com ele.

Gostou? Não se esqueça de Recomendar e Compartilhar!