Silvana Bahia, diretora do Olabi e coordenadora da Pretalab. / Foto: divulgação.

Ollo e Olabi fecham parceria por maior protagonismo da mulher negra

Redação The Funnel
The Funnel
Published in
2 min readOct 30, 2020

--

Acordo vai conectar empresas a profissionais das áreas de inovação e tecnologia que fazem parte da rede PretaLab

The Funnel Brasil

A Ollo, plataforma global que conecta empresas a talentos independentes escolhidos com atenção especial à diversidade, acaba de anunciar uma parceria estratégica com a Olabi, organização social dedicada à democratização da produção e de oportunidades no mercado de tecnologia e inovação. Pelo acordo, a Olabi vai selecionar profissionais do Preta Lab, sua iniciativa de incentivo e apoio à carreira de mulheres negras e indígenas na área, para que façam parte da rede da Ollo e tenham mais oportunidades de trabalho e renda.

Com a iniciativa, a Olabi também passará a ser beneficiária de doações da Ollo, que destina 5% do lucro para iniciativas de promoção de programas de mentoria e inclusão profissional, como a Olabi. Além disso, a Olabi será parte da rede beneficiada pelos projetos elaborados como parte do processo seletivo da Ollo, pelo qual todas as pessoas que desejam fazer parte da comunidade da Ollo precisam passar.

Karina Rehavia, fundadora e CEO da Ollo (Foto: Divulgação)

“A parceria com a PretaLab irá contribuir bastante com o compromisso de termos uma maior diversidade de pessoas nos projetos. Assim, cooperarmos efetivamente para um mercado de trabalho mais igualitário”, diz Para Karina Rehavia, fundadora e CEO da Ollo. Para a empresaria, “a equidade racial e de gênero são causas necessárias e urgentes”.

O problema da falta de diversidade no mercado de tecnologia é bem conhecido. A pesquisa #QUEMCODABR, promovida pela PretaLab em parceria com a Thoughtworks, entre novembro de 2018 e março de 2019, por exemplo, mostrou que 68% dos profissionais que trabalham na área, no Brasil, são homens. Do total, 58,3% são brancos e jovens de classe média e alta, que começaram a sua trajetória nos centros formais de ensino.

“Diversificar esse mercado é tarefa urgente no país, tanto para promover maior igualdade social quanto para estimular a criação de produtos e serviços que atendam uma população mais ampla do país”, diz Silvana Bahia, diretora do Olabi e coordenadora da Pretalab.

--

--