O efeito negativo de Lemonade #051

Desde o último sábado (23) não se fala em outra coisa que não seja o novo filme-álbum da Beyoncé, Lemonade. Ainda bem. A expectativa era alta e crescente até a data de lançamento. Foi possível, em pouco mais de uma hora de duração, vê-la tão exposta, vulnerável, entregue. Vulnerabilidade essa, que permitiu que Beyoncé transitasse em estilos musicais e referências visuais tão ricas e diferentes.

Posso ficar aqui dissertando minuto a minuto sobre a grandiosidade do filme, sobre o porquê mesmo não tendo hits on-the-floor, é o álbum mais significativo da Beyoncé ou sobre a trajetória de inspirações sonoras, que culminaram no resultado final da obra.

Uma das temáticas que mais chamaram atenção nas letras do álbum, a traição do Jay Z, serviu de gatilho para reações bem pesadas na Internet. Depois de ler alguns posts, tweets e comentários de diversos sites e também dos fãs da Beyoncé, percebi que Lemonade refletiu um comportamento nocivo das pessoas, principal motivação de escrever o texto de hoje.

Jay Z traiu Beyoncé, fato. Infelizmente a traição acabou sendo tão comentada quanto (se não mais que) os reviews e a experiência audiovisual do álbum. Enquanto ela sai soberana sem se pronunciar sobre, a Internet se encarrega de prover uma enxurrada de informações sobre a maldita traição. Afinal de contas, quem é Becky with the good hair?

As teorias da conspiração são várias, dentre elas, que Jay Z teria tido um caso com Rihanna (?) ou com a Rita Ora (?), que já fez questão de desmentir essa patifaria toda. Escavaram o passado inteiro do rapper e acharam alguns fios soltos, mais conhecidos como Rachel Roy. Imediatamente as redes sociais, sites de entretenimento e fãs se inundaram em fúria à ex-mulher do ex-sócio do Jay Z. Afinal de contas, seria ela a razão da Solange ter chutado e esmurrado o cunhado no elevador do Met Gala de 2014? Seria ela a culpada pelo sofrimento da Beyoncé e pelo quase rompimento do casal? Seria ela a Becky with the good hair?

A parte cômica disso tudo é que boa parte dessas reações de indignação não eram endereçadas diretamente ao Jay Z. Ele ficava com as reações engraçadas e recebia os memes que soavam como parece que alguém se ferrou. É como se ele não tivesse sido, de fato, o único e principal responsável pela traição. Ter percebido isso foi um alívio, mas por não ser uma ótica que não é naturalmente observada, o sentimento de frustração também coexiste. É sempre bom problematizar e frisar na cabeça das pessoas o raciocínio e a prática machista tóxica onipresente, até que seja natural. Lemonade é um trabalho incrível, que fala, além de tudo, sobre a importância e a diversidade da cultura negra, sobre política, família, amor próprio e girl power.

Seja lá quem for Becky, saibam: ela não é a culpada da história.


Apesar das notícias de diversas fontes, os links postados são todos do BuzzFeed, que completam as informações de quem não está muito por dentro, por conterem uma didática de absorção mais rápida e prática sobre o assunto.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.