Tem coisas que a gente não pergunta, só aceita #018

Se você é uma pessoa tradicional, não leia esse texto.

Quando eu não tenho uma pauta previamente elaborada na cabeça, eu acho que o universo conspira a meu favor e me envia alguns sinais. É o caso da pauta de hoje. Obviamente inspirado pela iminência da Páscoa, vi este post no Facebook, fiquei feliz, dei like e beleza. Um pouco mais tarde, lembrei com alguns coleguinhas de trabalho que faz 1 ano que eu tive um mini surto surpreendente de indignação e retórica ao ouvir a frase do título acima. BAM! 💥 Precisa ser pauta do texto de hoje.

Vamos contextualizar com ajuda do amigo Google: amanhã é Sexta-feira da Paixão, feriado católico, dia em que os cristãos relembram a morte de Jesus na cruz (?). Para isso, a Igreja Católica aconselha aos fiéis a pagarem uma penitência referente a prazeres mundanos (??), sendo a prática mais comum para se redimirem é: não comer carne (???).

Enfim, a pergunta que desencadeou aquela linda resposta do título acima foi simplesmente por quê não comer carne nessa sexta-feira?

Geralmente as justificativas sobre isso giram em torno de pessoas que:
( X ) não perguntam e só aceitam mesmo. 
( X ) acreditam piamente que essa prática realmente eleva e engrandece o ser humano. 
( X ) usam a desculpa de que foi criado desse jeito (GRRRR).
( X ) são apegadas à tradição.

Ah, a tradição. Manter velhos costumes em nome de uma história ou contexto, como diria Bruno Moretti. Há algo de errado nisso? Não. Todo mundo tem suas tradições, mandingas, doutrinas. Se não tem nada de errado, por que esse texto todo? Para (1) entender se realmente existem outras alternativas que não as de cima, (2) racionalizar e ver o outro lado das tradições, (3) promover a problematização das coisas e (4) colocar um ponto de vista pessoal, que consiste em:

Essa tradição faz sentido? → Sim, de verdade! → Do it.
Essa tradição faz sentido? → Não sei. → Pense, repense, leia e se informe.
Essa tradição faz sentido? → Não. → Stop it.

Falo isso porque passei pelas 3 fases sobre comer carne nessa sexta-feira que antecede a Páscoa e sobre tantas outras tradições-pensamentos-crenças, que hoje, já não fazem sentido algum.


Este post não tem o intuito de desrespeitar, denegrir e/ou julgar qualquer religião e demais práticas. E sim, o puro objetivo de sair do status quo e promover pensamentos não-tradicionais.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.