A Maldição Ross-Rachel

Diz a lenda que se você falar três vezes “Ross-Rachel” durante qualquer cena em que os protagonistas daquela série foram feitos para não serem feitos um para o outro, de alguma maneira, eles reatam.

Isso porque já fomos avisados várias vezes. Que o diga o Dr. House, que não encontrou nenhum sentido quando a Rachel tentou justificar o porque iria para o casamento do Ross.

Essa maldição é tão forte que chegou a atingir Scrubs, a melhor série do gênero de todos os tempos.

Soube também que tem um bar lá em Nova York, perto de uma cafeteria, que sofreu do mesmo mal, fizeram um cara insistir num trombone azul, um que sempre deixou claro que não tocavam no mesmo ritmo, tom e harmonia. Mas mesmo assim, lá estavam eles no fim.

É o mais puro fan-service, desses espectadores que parecem não aceitar o que os roteiristas insistem em dizer, que na maioria das vezes a vida tem dessas, daquela pessoa não ser “aquela” pessoa, e mesmo assim não ser algo ruim, afinal de contas, é a vida.

E dela tenta-se tirar o proveito da consequência de cada escolha.

Sem precisar dar calote em série para ter “seus personagens” de volta.