Rafael Moreno
Sep 4 · 2 min read

É muito difícil explicar o que sentimos, mas vou tentar me arriscar, riscando e rabiscando palavras para tentar explicar o inexplicável.

Todo dia primeiro de setembro trinta milhões de maloqueiros e sofredores, comemoram o aniversário do Corinthians. Um time operário acostumado a operar milagres. Quem mata um dragão por dia, como nosso padroeiro.

Também foi o time do seu Hermínio, meu avô.

Sei que se foi no mesmo ano em que cheguei. Então me permita te imaginar nesse dia tão especial, até porque você protagoniza uma das minhas histórias favoritas, contada pela Dona Lourdes.

Seu Hermínio, você era bravo quando o Corinthians jogava, não é mesmo? Aquele radinho a pilha não ficava intacto de jeito nenhum. Ainda mais quando um tal de Pelé fazia gol na gente.

Lá estava você, apoiando o braço no sofá, tragando um cigarro a cada golada de café, com o ouvido colado no rádio. Ora o Coringão atacava, ora era atacado e isso te dava cada ataque de nervo, não é mesmo?

Como a Dona Lourdes te conhecia. Ainda mais quando passava esbaforido, bufando que voltaria antes da janta. O Corinthians deve ter perdido. Era o que a vó repetia, enquanto sorria, porque a mesa estaria posta para toda família jantar.

Preciso perguntar que ainda quero que me conte quando jogou no terrão do Timão, onde conheceu a vó?

Me pego assistindo a um jogo e penso que devo ter um pouco de Hermínio, afinal de contas, levo comigo o escudo do mesmo time do coração. De coração.

Olha, nesse jogo que caiu em nosso aniversário de time, vencemos por 1x0 o Atlético MG, gol no finzinho do segundo tempo, com chuva e tudo mais.

Algumas coisas não mudam, não é mesmo?

Depois me conta como é bater uma bolinha com Sócrates.

Abraços vô,

Toca a Fita

Um mixtape do cotidiano que vive mudando a capa do blog e ajeitando a casa. Nessa repaginada de conteúdo, sem perder o bom e velho papo de boteco, continue acompanhando como sempre que logo a gente ajeita o blog pra deixar lindão.

Rafael Moreno

Written by

Aprendiz de Pascal Avaf e Matamune

Toca a Fita

Um mixtape do cotidiano que vive mudando a capa do blog e ajeitando a casa. Nessa repaginada de conteúdo, sem perder o bom e velho papo de boteco, continue acompanhando como sempre que logo a gente ajeita o blog pra deixar lindão.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade