Sobre o Toca a Fita e algumas mudanças

Para tudo tem um jeito, em paz e confiante de onde cheguei e para onde vou

O Toca a Fita nasceu em 2016 com a ideia de um papo sobre filmes, músicas, livros e cotidiano. Aliás, esse era meu “slogan” lá no outro site em que tinha espaço.

Nunca foi a minha intenção fazer uma análise crítica sobre qualquer coisa. Existem muitos sites bons e mais competentes do que eu pra isso. E outra, entre o bico de quem critica e a diversão de um conteúdo massaveio, prefiro a segunda opção. De longe.

Durante dois anos, falei muito sobre como os filmes “clássicos” eram mágicos por si só, sem a obrigação de nos fazer acreditar no fantástico. Conversamos sobre músicas, crônicas sobre série, principalmente How I Met Your Mother. Eu poderia muito bem ter um portal sobre essa série, de tanta coisa que falei. Mas nunca foi a minha intenção.

Tá legal, coloquei só pra sacanear, confesso

Nesse período recebi um convite para escrever sobre música. Até aceitei no começo, mas, devido ao tempo e inexperiência, não toquei pra frente.

Teve também um estudante pedindo autorização para utilizar um dos meus textos como parte de um trabalho na faculdade. É claro que deixei! Foram duas conquistas e a certeza de que estava fazendo sentido.

De lá pra cá, até novembro de 2018, mudei de portal, tentei um novo site, fiz até um texto sobre mudanças e, vejam só, resolvi mudar.

Não quero fazer sucesso, quero fazer sentido.

Nesses tempos me encontrava no “automático”, tendo que escrever. O rapaz que batia um papo sobre filmes, músicas, livros e cotidiano lá em 2016, não era o mesmo de 2018.

Isso não significa algo ruim. Longe disso! Significa que eu posso entregar um conteúdo diferente, mas que ainda estabeleça aquela conexão bacana que o Toca a Fita sempre teve.

Quanto aos textos antigos? Você pode ir na Locadora ler e reler quantas vezes quiser!

Numa Jornada, tragam-me o horizonte

Daqui pra frente serão novos tempos, novos formatos, novos ares. E, logo de cara, acompanhe na nova série do Toca a Fita, a Jornada!

Seja você mesmo, mas não seja sempre o mesmo.

Abraços e sejam bem-vindos,

Rafael Moreno — Toca a Fita