Cinema latino o que sabemos ?

por: Sarah Corsi

Diarios de Motocicleta (2004)

A America em si tem um cinema muito ativo, hollywood que o diga, essa indústria cinematografia que é a disseminadora da cultura norte americana pelo mundo, neve no natal, armário nas escolas e etc, parte da cultura e política dos EUA são propagados como metalinguagem em seus filmes, por escolha nacional a industria cinematográfica é a própria publicidade do exercito e indústria bélica; com o super-homem os tiros o engrandecimento da policia secreta, a mistificação toda do lugar.

Mas é o resto do mundo ? qual a representação do mundo na sétima arte. Não existe só o cinema de hollywood, acredite.

A Europa por exemplo tem uma representação toda classuda e histórica, quase gótica, o cinema francês, inglês e tcheco são extremamente artísticos como todo resto da vida na Europa, valorizam a historia, a classe, a pseudo-monarquia , com uma estética renascentista inconfundível.

A vida é bela(1997)

Legal, mas e a America Latina ?

Relatos selvagens (2015)

Nós latinos temos um cinema Impressionantemente Cínico, Critico, sacana, quente, irônico erótico e inteligente O que sabemos por exemplo sobre como nós latinos fazemos cinema é o que vemos em hollywood, “Birdman e a Inesperada virtude da Ignorância” é um filme com orçamento e produção norte americanos, mas direção ESTUPIDAMENTE latina, desde as cores, o ritmo do filme até o humor e não protagonismo, outro exemplo, já um pouco mais fora dos holofotes é “Relatos selvagens” de novo nos deparamos com o humor inteligente o ritmo, que apesar da montagem extremamente oposta a de “birdman” que não chega nem a dividir cenas “relatos selvagens” divide o filme todo em pequenas crônicas, mas as semelhanças são visíveis, ambos tem sequências de acontecimentos importantes extremamente sutis, ambos tem uma noção de antagonismo beirando a realidade extrema, com personagens muito mais complexos do que os norte americanos, no caso do cinema latino é quase como se a construção de um personagem fosse mais importante do que a jornada de tal, isso associado a uma boa construção ou representação do “meio” (em que o personagem se encontra) e quase desvalorização da jornada ou ponto de virada, como se a construção do filme não precisa de de um evento grandioso ou uma bomba ou coisa parecida.

Cidade de Deus (2002)

Nesse caso o cotidiano de um mundo caótico já o o suficiente para ser relatado Cidade de Deus, Tropa de Elite e O pagador de promessas, que podem parecer filmes completamente distintos mostram o modo comum como o cidadão latino se enxerga na sociedade, com o continente formado com a maioria dos países em desenvolvimento ou até subdesenvolvidos, vemo-nos diante de INÚMEROS problemas sociais que temos desejo de gritar ao mundo, é assim com todos os três filmes, a falta de protagonismo heroico mostra que no nosso meio e por assim na nossa arte ninguém é perfeito-mocinho, todos tem luz e trevas e são no mínimo corrompidos se não idiotas, nosso clima tropical nos fez desenvolver hábitos inicialmente renegados pela burguesia latina que queria imitar a vida europeia, mas com o empoderamento cultural e o orgulho “patriótico” começou uma nova fase de arte nos países, o nacionalismo, tropicália e etc que influenciaram e influenciam até hoje nas cores, trilhas e afins das obras de nosso cinema.

Concorda com o texto comenta, se não concorda comenta também vamos conversar , pra acompanhar mais textos como esse segue a gente

Segue a gente

Twitter (aqui)

Facebook (aqui)