Todas as Letras
Published in

Todas as Letras

Iniciando em Arquitetura de Informação

No fim de semana dos dias 18 e 19 de setembro pude participar do curso da Mergo sobre Arquitetura de Informação através de uma bolsa integral fornecida pela ONG Todas as Letras (LGBTI+ in Tech) que tem como principal objetivo capacitar pessoas LGBTI+, ajudando elas a ingressar na área de tecnologia. Esse curso foi ministrado pelo Edu Agni, CEO da Mergo, uma escola voltada para estudos de UX Design. Como facilitador, tivemos o Matheus Petroni nos ajudando.

No primeiro dia de curso começamos nos apresentando, falamos onde trabalhamos, onde residimos e um problema informacional. Dava para identificar uma variedade grande de pessoas, mas seus problemas informacionais eram o mesmo: aquela chuva de conteúdo que é guardada mas nunca lida. Edu Agni começou nos apresentando o livro “Ansiedade da informação” que fala exatamente sobre como somos bombardeados de informação sempre, mas não conseguimos organizar.

Taxonomia

O primeiro conteúdo teórico foi sobre Taxonomia. Edu Agni começou nos mostrando o que seria taxonomia e que não era algo propriamente de Arquitetura de Informação. Taxonomia é visto desde cedo nas escolas, principalmente em biologia, é um esquema de classificação hierárquico para informações diversas, é uma etapa de agrupamento de conteúdo. Basicamente é pegar todas as informações que temos e organizar de forma que tenha significado para todo mundo. Importante sabermos que cada pessoa tem um modelo informacional, um jeito de ver como se organiza as coisas. A ideia da arquitetura da informação e organizar isso de forma visível para todos.

Exemplo de Taxonomia.

Para o primeiro exercício prático, fomos separados em grupo e pudemos entender melhor a ideia de Inventário de Conteúdo. Essa é uma listagem diversa de todos os conteúdos que um site possua, geralmente usada para produtos de grande conteúdo. Normalmente esse inventário é feito em planilhas, separando cada informação, que começa colocando o nível hierárquico de cada página, a URL, descrição e o conteúdo que tinha, como fotos e banners. Com o inventário teríamos uma visão melhor sobre cada conteúdo e a hierarquia. Pudemos fazer o inventário de conteúdo ilustrado, do site desktop da Eletrolux, ao invés de fazermos através de uma planilha. Realizamos a atividade de modo ilustrado, para ser mais dinâmico e intuitivo, separando no máximo seis conteúdos.

Inventario de conteúdo ilustrado do site Eletrolux — Versão de melhor qualidade aqui

Logo em seguida pudemos discutir sobre o exercício feito e encerrar o dia falando sobre os sistemas da arquitetura de informação, que são os sistemas de organização, rotulação, navegação e busca. Aqui foi importante para entendermos todos os sistemas e quais eram os melhores utilizados através de exemplos dados pelo Edu Agni. Isso no ajudou a ter uma visualização clara do que deveríamos usar em cada situação e o que era necessário para uma construção melhor de um site.

No dia seguinte começamos já introduzindo o assunto sobre Card Sorting, que é uma técnica da Arquitetura de Informação que utiliza a ordenação de cartões para compreender o modelo mental dos usuários na organização e classificação de conteúdos. Essa técnica é rápida e barata, e por isso muito utilizada, consistindo em rotular, agrupar e classificar.

Etapas do Card Sorting
Etapas do Card Sorting

Existem dois formatos de aplicação do Card Sorting, aberto e fechado. Oct aberto consiste em o usuário agrupa livremente os itens, criando a quantidade de grupos que achar necessário e depois nomeia as categoria, o fechado já vem com os grupos rotulados pelo pesquisador e o usuário apenas agrega os itens nos grupos preexistentes. As desvantagens do Card Sorting é que tem uma analise complexa e pode ter resultados divergentes. Pudemos fazer nosso próprio card sorting em um exercício pratico, foi meio complexo separar tudo e todo grupo estar de acordo por cada um ter seu mapa mental, mas sempre a um acordo final entre todos.

Card Sorting feito pelo meu grupo

Logo após o Card Sorting, entramos na etapa final do curso. Falamos sobre os levantamentos de requisitos, inventário de interface e wireframe. Importante coletar todos os dados e requisitos dos usuários para projetar um produto. Separar o site em módulos foi a primeira etapa do próximo exercício. Nós separamos o que achamos que era definido como um conteúdo e fomos listando num inventário de interface como por exemplo o menu global, interface de busca, carrossel de produtos, banners etc.

Em seguida, foi falado sobre levantamento de requisitos. Ele visa a importância de conhecer e entender o produto que se está projetando para saber quais são seus requisitos. O ideal é coletar três tipos de requisitos sobre o usuário, de conteúdo, especificações funcionais e de interface, para elaborar o planejamento alinhado com as necessidades dos negócios. Esses requisitos podem ser mapeados por você mesmo ou já com os requisitos prontos para serem apenas adicionados ao produto. Para esse exercício foi nos dado todos os requisitos e tivemos que mudar o inventário de interface, adicionando os requisitos ou retirando alguns dessa lista.

Com o inventário de interface em mãos, e todo conteúdo adicionado nele, começamos a montar o inventário em uma versão mobile do site, separando e colocando cada módulo no site para uma melhor visualização de onde ficaria cada interface. Montar esses módulos numa versão mobile foi importante para entendermos melhor de como é feito o processo da arquitetura de informação. Pudemos montar no final do curso todo wireframe do site mobile, tivemos a oportunidade de colocar na pratica os processos de arquitetura de informação transformando um site desktop e um site mobile.

Etapas dos exercícios — Versão de melhor qualidade aqui

Conclusão

Foi um final de semana de muita troca e muito aprendizado, trabalhar em grupo e interagir foi muito gostoso de ver e participar. Está sendo muito importante para minha carreira entender os passos da Arquitetura de Informação, pretendo ler e ver muito mais sobre com o intuito de agregar cada vez mais. Agradecer ao Edu Agni por ter nos mostrado tanto conhecimento e agradecer principalmente à ONG Todas as Letras (LGBTI+ in Tech) por ter me proporcionado essa bolsa integral, muito importante ter ONG’s assim que querem o crescimento de pessoas LGBTI+.

--

--

Organização social e comunidade que busca incluir pessoas LGBTI+ no mercado de tecnologia

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Laura Arduino

Laura Arduino

Sou Laura, uma mulher trans de 21 anos e estudante de UX Design