Sobre alguém que descansou

Carrego você em meu peito como dona das minhas melhores lembranças!

Mãos da Vovó Landa no dia em que fiz as unhas dela

Hoje amanheceu um pouco mais frio que o normal, a parte que aquecia meu peito foi arrancada. A sua partida me desestruturou como um prédio a desmoronar, sei que a morte é pra ser sentida e que devo aceitar a sua partida sendo essa uma conformidade que passará por inúmeros processos para então ser aceita.

Me doí e parece inacreditável como um sonho ruim que logo chegará ao fim no meu despertar. Eu te amo e deixei isso claro todas as vezes que estive perto, tanto nas palavras quanto nas atitudes.

Aquela frase “O céu é um lugar na terra com você” pede uma revisão para então ficar “O céu costumava ser um lugar na terra com você” visando que hoje você partiu deixando imensas saudades e uma dor irreparável.

Agora as tarefas se tornam mais difíceis e os risos menos presentes, mesmo que eu te guarde em meu peito coma dona das minhas melhores lembranças e faça da verdade aplicável sendo o teu nome sinônimo de amor, ainda vou chorar porque sinto muito.

Agradeço a você por tudo. Agradeço pelo nosso primeiro contato o qual eu não recordo por ser naquele tempo um bebê, porém quando você relatava para mim eu sentia a construção de uma lembrança. Agradeço por ter me intitulado como a neta mais enjoada, pois segundo você eu era de todas a neta mais enjoada com alergias a comida e picadas de inseto. Agradeço por ter me intitulado como a neta meiga, já que foi você quem me disse. Agradeço por todas as formas de afeto que trocamos, nas palavras de conforto, os colos e os comentários fora de hora. Agradeço pelas risadas que me proporcionou com cada apelido dirigido ao meu avô e demais pessoas.

Você foi aquela pessoa serena que ninguém tem o que reclamar, uma mulher incrível, a Dona Landa!

Não tive a oportunidade de me despedir com um abraço apertado. Por meio dessa escrita eu me despeço com um até logo, sentindo saudades do teu abraço, nossas brincadeiras e sua rebeldia, neste meio tempo que nos distancia um dia nos encontraremos novamente e nesse dia teu colo será meu lar.

Bom descanso vovó Landa! 1938–2017

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Jessica Suguyama’s story.