Training Center
Published in

Training Center

BEM em 5min

Porque CSS deve ser simples e fácil de entender — não uma complicação!

Photo by Wes Hicks on Unsplash

Título direto e conteúdo mais ainda — nesse texto, quero explicar para você o que é, como se usa, por que se usa e alguns exemplos de uso do BEM em projetos web. Vamos lá?

Primeiro, o que é BEM?

BEM é uma metodologia, uma convenção, um padrão de nomenclatura que utilizamos para manter o nosso projeto simples e organizado. O principal objetivo dessa metodologia, além de manter os códigos simples na hora da escrita e (principalmente) da manutenção, é fazer com que qualquer desenvolvedor possa ter total autonomia para mexer em qualquer tipo de projeto — seja um projeto que você já conheça ou um projeto no qual você acabou de entrar.

Essa metodologia é aplicada na nomenclatura das classes CSS dos nossos elementos HTML. A sigla BEM significa Block Element Modifier, em português, Bloco Elemento Modificador — esses 3 pilares são as bases dessa metodologia e também são as categorias nas quais vamos dividir nossos elementos.

Mostrando diretamente isso em um código simples, imagine a seguinte situação: construir um newsfeed.

Basicamente, se trata de uma lista (ordenada ou não) com alguns elementos dentro de cada item*. Embora listas sejam um exemplo saturado para usar, elas cabem muito bem na explicação de como utilizar a metodologia.

*poderíamos utilizar também uma estrutura composta por várias <div> e apenas ajustar o CSS, porém isso não é uma boa prática — não segue os web standards e, em consequência, o SEO da sua página ficará horrível.

Construindo o nosso newsfeed utilizando o padrão BEM, a estrutura ficaria mais ou menos assim:

<ul class="list">
<li class="list__item">
<h2 class="list__title">My publication</h2>
<p class="list__author>Julio Lozovei</p>
<p class="list__text">A publication using BEM :)</p>
</li>
</ul>

No exemplo acima, temos um bloco e alguns elementos. Onde:

  • .list é um bloco;
  • .list__item, .list__title, .list__author e .list__text são elementos;

Para contemplar os modificadores no exemplo, imagine que algumas publicações terão um certo destaque em relação as outras. Dessa forma, nossa estrutura ficaria assim:

<ul class="list">
<li class="list__item list__item--highlight">
<h2 class="list__title">My publication</h2>
<p class="list__author>Julio Lozovei</p>

<p class="list__text">A publication using BEM.</p>
</li>
</ul>

Ou seja, explicando agora o padrão da nomenclatura que utilizamos:

  • Nossa primeira classe sempre será o bloco: .list
  • Para criarmos os elementos, utilizamos 2 underlines ( __ ) após o nome do nosso bloco: .list__item, .list__title
  • Para criarmos os modificadores, utilizamos 2 traços ( — ) no nosso bloco ou elemento: .list__item--highlight, .list__author--active

Como saber o que é um elemento e o que é um modificador?

Um elemento sempre será uma parte, um complemento da estrutura do bloco. Seguindo nossos exemplos acima, um item de uma lista, o título de uma publicação.

Os modificadores são estados que os nossos blocos ou elementos poderão ter: um botão com diferentes aparências, uma situação de destaque.

Geralmente, os modificadores fazem com que algumas propriedades dos blocos/elementos sejam complementadas — background-color, font-weight, borders, opacity, ou até mesmo o display e o position.

É importante lembrar também que um elemento não pode estar dentro de outro. Por exemplo:

<ul class="list">
<li class="list__item">
<h2 class="list__item__title">My publication</h2>
</li>
</ul>

Quando nos deparamos com essa situação, devemos utilizar a seguinte estrutura:

<ul class="list">
<li class="list__item">
<h2 class="list__title">My publication</h2>
</li>
</ul>

E eis aqui o porque disso:

Um bloco é uma entidade independente, um componente de uma aplicação. Um bloco pode ser simples ou composto — contendo outros blocos.

É uma questão de contexto: .list é o nosso bloco composto (compound block), que possui outro bloco composto, .list__item. E .list__title é apenas um bloco, contido dentro de .list__item.

Também, podemos utilizar o esquema de 2 classes:

<ul class="list">
<li class="list__item publication">
<h2 class="publication__title">My publication</h2>
</li>
</ul>

É uma solução que funciona muito bem pois podemos "pendurar" os elementos dentro de um bloco novo. Porém essa abordagem deve ser utilizada com certa moderação para não saturar seu elemento com diversas classes.

Não é uma regra, mas é uma boa prática utilizar o padrão __ apenas 1x dentro do nome da sua classe (apenas 1 elemento). Se você está chegando em nomenclaturas com mais de um elemento, é bom rever a estrutura utilizada!

Boas práticas com BEM

Algumas boas práticas são associadas ao BEM, porém, não necessariamente, fazem parte da metodologia — a metodologia aliada a essas boas práticas comuns acabam formando um conjunto sensacional.

Independente do uso da metodologia, uma boa prática que você pode/deve seguir quando escreve CSS é em relação a especificidade — quanto menor ela for, melhor será seu código, pois assim você não terá problemas para sobrescrever propriedades e evitará utilizar !important.

Assim como dito ali em cima, outra boa prática é evitar um grande número de classes nos elementos HTML; a exceção para esse caso seria apenas a aplicação de modificadores:
<button class="button button--blue button--outline">Click Me</button>

Recentemente, eu encontrei um post maravilhoso falando sobre 5 problemas comuns com o uso do BEM e como resolvê-los de maneira elegante:

Battling BEM — 5 common problems and how to avoid them

https://medium.com/fed-or-dead/battling-bem-5-common-problems-and-how-to-avoid-them-5bbd23dee319

Conclusão

Essa metodologia é incrivelmente fácil de usar e é um excelente aliado. Ela pode ser aplicada em qualquer projeto web — seja um site, sistema, webapp, landing page, hotsite… E também ela é independente aos frameworks/ferramentas que você está utilizando em seu projeto — React, Vue, jQuery, Angular, Ember, Meteor, Sass, PostCSS…

No começo pode ser um pouco estranho — até você se acostumar com a ideia do padrão; mas, além de proporcionar uma grande organização do projeto e facilidade na escrita/leitura do código, ele também proporciona maior desempenho — você ganha tempo durante o desenvolvimento e consegue fazer muito mais em menores períodos de tempo.

Indo além do básico

Se, assim como eu, você gosta de ir um pouco além do básico, vou deixar aqui algumas boas referências para que você se aprofunde um pouco mais sobre a utilização do BEM:

Use o BEM para o bem do seu projeto — LOZOVEI, Julio

--

--

--

Conectamos pessoas que querem aprender algo relacionado a desenvolvimento de software com gente que pode guiá-las.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Julio Lozovei

Julio Lozovei

Human, front-end developer, amateur musician, writer and speaker; problem solver. https://jlozovei.dev

More from Medium

Create ReactJs Application With NX Workspace

Component from NPM module cannot be used as a JSX component

Overmind, the state management library you don’t know (yet) (but should)

Abstract: Out of all the JavaScript libraries, ReactJS has proven to be the best front end library.