Como a comunidade te ajuda a evoluir e estudar sempre mais

Apenas relembrando…

Eu não lembro exatamente como, mas em determinado momento da minha vida no final do ano passado (meados de novembro e dezembro) eu comecei a ler sobre UX Design. Eu nunca tinha parado para pensar no quanto produtos ou marcas que eu uso, pudessem mexer tanto com a sua cabeça. Eu fiquei apaixonada por entrar em sites, conhecidos ou não e reparar no quanto eu me sentia bem ou mal com a notícia, o jeito das páginas rolarem e principalmente as cores. E comecei a seguir freneticamente um monte de pessoas mundo a fora para aprender.

Então…

O meu mundo para o desenvolvimento web estava apenas começando, conforme já comentei no meu outro post. Nisso, eu comecei a estudar algo mais voltado pra minha área, claro, e ai entrou o HTML, CSS, JavaScript. Posteriormente veio o jQuery e Bootstrap (sou apaixonada por esse framework). Enfim… Mas o que mais me chamou a atenção, não foram linguagens e ferramentas extremamente eficazes, onde você é capaz de fazer praticamente tudo. O que mais instigava a correr mais atrás foi a comunidade de desenvolvimento.

Nesse meio tempo, eu descobri sites/blogs incríveis, com várias ideias, dicas e como fazer isso ou aquilo para o seu código funcionar, o melhor jeito de escrever, enfim, uma infinidade de coisas. Sem contar que eu descobri o meu mais novo amor atual: o Git. Sim, sou atrasada, mas faz parte né? ¯\_(ツ)_/¯

E no GitHub (repositório remoto) a lista de projetos que você pode ver, interagir e participar é infinita. E eles ajudam e muito você! Quando você está com medo, sempre tem aquele post bacana que fala pra você arriscar mais; quando você quer desistir, vê o depoimento de alguém que foi atrás e deu certo; quando você não sabe mais pra onde ir com os estudos, tem aquele grupo que te da algumas dicas pra rumar pro caminho certo. É maravilhoso! E se você as vezes se sente perdido, desanimado e até mesmo sofrendo com o síndrome do impostor, deixo algumas dicas que podem te dar aquele UP. 🙌

Esses são só alguns que acompanho e recomendo fortemente para começar. Claro, que a lista não para por ai, quem sabe eu faço um compilado de tudo que eu acesso futuramente né? 😉

Espero que gostem, até mais!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.